Ano novo: Passado e futuro de mãos dadas – Padre Wagner Eduardo...

Ano novo: Passado e futuro de mãos dadas – Padre Wagner Eduardo Dias

Parece recorrente a informação de que os meses do ano, em sua maioria, receberam os seus nomes a partir dos nomes de divindades cultuadas na Roma Antiga. Assim, o deus Marte emprestou o seu nome ao mês de março; a deusa Maia emprestou o seu nome ao mês de maio; a deusa Juno, ao mês de junho; e o deus Jano, ao mês de janeiro.

Relativamente a esta última divindade, Jano, tanto o seu nome quanto a sua história tem muito a nos ensinar sobre o mês de janeiro. Jano era o deus romano das mudanças e transições, das partidas e das chegadas, dos inícios e dos fins. Por isso, era representado por uma imagem de um homem com duas faces: uma voltada para frente e outra voltada para trás.

Com base nessa representação, o mês de janeiro desponta no calendário civil como um marco divisório entre o passado e o futuro, entre o ano que se encerrou e aquele que se inicia, entre o tempo que já foi embora e o tempo que ainda não chegou. Não sem razão, este é também o comportamento recomendado a cada um de nós para este início de 2017.

Antes de tudo, devemos voltar os nossos olhos para o passado, para tudo o que vivemos neste ano que se encerra: as alegrias e tristezas, os sorrisos e as lágrimas, as vitórias e derrotas, os encontros e desencontros. Das coisas boas que se nos sucederam, devem ficar as recordações. Das coisas más, as lições de experiência e amadurecimento. Contemplar o que se viveu nem com saudosismo e nem com medo, mas com a maturidade de quem percebeu que o passado é o alicerce do futuro.

É por isso, alias, que neste início de ano também devemos voltar os olhos para o futuro. Traçar metas, fazer planos, estabelecer projetos, construir sonhos, almejar conquistas. Olhar para o futuro significa reconhecer que um novo tempo se aproxima: tempo de recomeçar, de consertar o que se quebrou, de retomar o que ficou para trás, de se lançar a novos empreendimentos, tendo sempre a esperança, a força de vontade e a fé como instrumentos de trabalho.

Pela fé, entregamos a Deus tudo o que vivemos, de bem e de mal, em 2016. E pela mesma fé, confiamos em Suas mãos todos os nossos sonhos e projetos, o nosso trabalho, a nossa família, os nossos relacionamentos, a nossa saúde, os nossos amigos e os nossos bens, na certeza de que Ele, o verdadeiro Senhor do tempo, o Alfa e o Ômega, estará conosco em 2017, guiando-nos e abençoando-nos em mais um ano de nossas vidas.

Um Feliz Ano Novo repleto de sonhos e realizações a todos os assinantes, funcionários e diretores do Jornal O Norte de Minas.

Pe. Wagner Eduardo Dias
Vigário Paroquial da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.

COMENTÁRIOS

Responder

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.