Arquidiocese de Montes Claros

O arcebispo coadjutor de Montes Claros, dom João Justino de Medeiros Silva, presidiu, neste sábado (12), a Missa de abertura da Semana Nacional da Família, na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.

Durante a homilia, dom João Justino falou sobre a importância da família e a missão dos pais em ensinar os filhos a escuta e a vivência da Palavra, bem como cultivar o amor que precisa ser atuante na vida familiar.

“A família é um lugar privilegiado para a experiência do amor de Deus. Não foi exatamente isso que Deus quis viver quando encarnou-se, e também viveu, no seio de uma família? Deus quis poder sentir Ele mesmo, o que é ser amado por um pai e por uma mãe. E vivendo em família, mostrou-nos a importância de valorizar esse espaço humano, que ao mesmo tempo é cheio das graças de Deus, e por isso é um  espaço divino”, refletiu dom João Justino.

João Justino convidou a assembleia a juntar esforços para viver não somente aquilo que as comunidades e paróquias organizaram para a Semana da Família, mas que também olhe para a realidade da própria família e descubra o que precisa ser mais intensificado na experiência do amor de Deus.

“Devemos olhar para as nossas famílias e fazermos uma revisão da história e perceber se há algum esquecimento que está ferindo a aliança feita e buscar a conversão. Que nesta semana, as nossas famílias consigam experimentar, se já não vivem, momentos de oração em família, e assim experimentarmos, melhor, as graças de Deus”, exortou.

P8120190 P8120191

Caminhada da Família

Após a celebração diocesana, as famílias participaram da quinta edição da Caminhada da Família que percorreu algumas ruas da região central da cidade até a Matriz Nossa Senhora da Conceição e São José, onde foi dada a benção do Santíssimo.P8120199 P8120205 P8120210

P8120206 P8120213

Vivenciar o sentido da Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como tema Fraternidade e os Biomas Brasileiros em Defesa da Vida, foi o propósito de uma Manhã de Formação realizada nesta sexta-feira (5), no parque estadual da Lapa Grande, em Montes Claros. O evento, que foi realizado pela Pastoral da Educação, Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso (PEEDIR) da Arquidiocese de Montes Claros, teve a participação de professores de Geografia, Ciências e Ensino Religioso, bem como supervisores e diretores de escolas pública e particular da cidade.

De acordo com o assessor arquidiocesano da PEEDIR, padre Valdomiro Soares Machado (Frei Valdo), a Pastoral tem como primícia desenvolver um intenso trabalho com os professores e esta formação que acontece hoje é parte integrante dessa ação. “O parque estadual da Lapa Grande é o local da cidade mais apropriado para que pudéssemos refletir sobre o tema da Campanha da Fraternidade e, assim, ouvir este ‘grito’ que a natureza dá em prol dos biomas brasileiros”, destaca Frei Valdo.

O objetivo do evento é a formação de uma consciência crítica dos professores para despertar, através de discussões em sala de aula, nas crianças e adolescentes uma formação para a preservação dos biomas, principalmente o cerrado. “A CF deste ano chama a atenção para esse envolvimento de todos – crianças, jovens e adultos, católicos, evangélicos e ateus para que possamos cuidar da casa comum e, assim, possibilitar uma melhor qualidade de vida para toda a sociedade”, ponderou.

“Este evento surgiu durante o lançamento da Campanha da Fraternidade na arquidiocese de Montes Claros e a Pastoral da Educação viu a necessidade dessa formação para aquele que formam a juventude, os professores”, comenta a coordenadora da Pastoral da Educação da Paróquia Catedral, Odete Martins de Oliveira Campos.

IMG-20170505-WA0047 IMG-20170505-WA0045 IMG-20170505-WA0043 IMG-20170505-WA0042

A Arquidiocese de Montes Claros celebrou na noite desta quinta-feira (6), na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, a Missa dos Santos Óleos, também conhecida como Celebração da Unidade. Esta é uma das principais liturgias que antecedem o Tríduo Pascal do calendário católico. A celebração foi presidida pelo arcebispo metropolitano, dom José Alberto Moura e concelebrada pelo bispo emérito de Almenara, dom Hugo Maria Van Steekelenburg, e pelos demais padres e diáconos.

Na homilia, dom José destacou a importância da celebração da Unidade e dos Santos Óleos para toda a Igreja e a atividade do sacerdócio para a condução dos fieis. “Jesus quis instituir a sua Igreja, mas não sem deixar que alguém em seu nome – os ministros que recebem a incumbência pelo sacramento da Ordem -, aja para dar a certeza à humanidade que a sua caminhada terrena só se faz com a ajuda e com a presença do próprio Deus que se servir de homens para ajudar ao povo”, exortou.

Ressaltou ainda, o arcebispo, a importância do amor de Cristo para que o povo possa viver o amor mútuo e fraterno em sociedade. “Durante o Retiro do Clero, o nosso pregador, em suas reflexões, abordou a necessidade de viver o ‘amor enosi’, o amor cheio de esvaziamento daquilo que é mundano em nós, para assim nos enchermos do amor de Deus, que é nossa riqueza e convencer os nossos fieis e a sociedade que é esse amor que salva”, alertou dom José Alberto Moura.

O arcebispo agradeceu aos padres e diáconos por ajuda-lo a exercer o seu mistério, de modo a viver com mais fraternidade na compreensão e na misericórdia do amor de Deus, “para assim servir esse povo que tanto precisa de nós e de Deus. Que a Virgem Maria seja a primeira a nos consagrar nessa missão”.

Na mesma celebração, os padres renovaram as promessas sacerdotais feitas no dia da ordenação. Assim, manifestaram publicamente, diante do arcebispo, o desejo de continuar exercendo a missão de pastorear o povo de Deus, sob a orientação dos bispos e auxilio do Espírito Santo.

Ainda durante a Missa, foram abençoados os Óleos dos enfermos e dos catecúmenos e, consagrado o Óleo do Crisma – composto com óleo e balsamo. Os três são chamados de os ‘Santos Óleos’.

Antecipação

A Missa dos Santos Óleos, tradicionalmente celebrada na manhã da Quinta-Feira Santa, por permissão da Santa Sé, pode ser antecipada em alguns dias para favorecer a maior participação do povo de Deus. Devido às grandes distâncias e dificuldades de acesso em algumas paróquias, e pela proximidade com o Retiro do Clero que iniciou na segunda-feira e encerrou ao meio-dia desta quinta-feira (6), a Arquidiocese de Montes Claros resolveu antecipar a celebração em uma semana. “Desta maneira, os padres podem participar da Missa dos Santos Óleos e retornar a tempo para prepararem as celebrações próprias da Semana Santa. Assim, manifestamos a união de todos – bispos, padres e diáconos – em gratidão a Deus por ele ter instituído o sacerdócio na quinta-feira, na última Ceia e a instituição da Eucaristia”, comentou dom José Alberto Moura.

 

A Pastoral da Educação, Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso (PEEDI) da Arquidiocese de Montes Claros e curso de Ciências da Religião da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) realizam nesta quinta (30) e sexta-feira, o 2º Seminário Norte-Mineiro para Formação de Professores de Ensino Religioso (Senomifoper). O evento acontece na campus da Unimontes e tem como objetivo proporcionar um espaço de formação, divulgar produções que abordam o estatuto da disciplina de ensino religioso e promover reflexões entre os professores de ensino religioso, supervisores, pesquisadores, pais de alunas (os), alunas (os) e membros da comunidade.

Segundo o assessor arquidiocesano da PEEDIr, Valdomiro Soares Machado (Frei Valdo), o seminário é uma oportunidade que a Pastoral da Educação, Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso e o curso de Ciências da Religião propõem uma discussão sobre o ensino religioso na grade curricular das escolas do ensino básico. “Essa discussão é de fundamental importância para que o ensino religioso não confessional e com o proposito de estudar a religião como uma área de conhecimento, assim como a língua portuguesa, a geografia e a matemática que respeite a pluralidade religiosa”, destaca Frei Valdo.  Ele ainda chama a atenção para que não retire da Constituição Federal um direito do estudante que é ter acesso ao ensino religioso a partir de uma perspectiva ecumênica.

Emoção, alegria, beleza de liturgia e organização marcou a ordenação diaconal de 28 homens católicos, casados ocorrida de uma só vez na Arquidiocese de Montes Claros pela primeira vez.  A ordenação, ocorrida no último sábado, 18 de março, na Igreja Rosa Mística, foi presidida pelo Arcebispo de Montes Claros, Dom José Alberto Moura, e concelebrada por dezenas de padres que acompanharam o rito que encantou, emocionou e alegrou tantos fiéis, amigos e familiares dos ordenados.

Aos candidatos, “ Não vim para ser servido, mas para servir!” Em sua homilia, o arcebispo Dom José Alberto,  ressaltou algumas considerações existentes desde a igreja primitiva e que se estendem até a Igreja de hoje.Ser diácono é um chamado de Deus, é vocação. O diácono não é um funcionário, mas sim um ser chamado a servir voluntariamente naquilo que é próprio de Deus. Os apóstolos escolheram homens próprios de fé, a serviço de Deus e da Igreja para serem os primeiros diáconos. O papel diaconal não é o de leigo, nem o do padre, é algo próprio. O testemunho de vida é exigido de todos, mas os diáconos são chamados de modo especial a testemunhar sua fé, estimulando e orientando o povo a servir.

O Testemunho de serviço é baseado em 3 realidades, pontuou Dom José: Família- ser exemplo no seio familiar, dá testemunho da verdade e do esforço. Assumir o testemunho do matrimônio. Ajudar a todos – padres, leigos, religiosos – a valorizarem a família.  Trabalho: dar testemunho no serviço e no exercício da profissão. Exercício profissional é prova de amor à família, que é cuidada por esse homem de Deus. Comunidade: serviço aos irmãos, ajudando a Igreja a ser serviçal e tendo preferência por aqueles irmãos mais necessitados.  E completando disse que todos esses 28 homens são chamados para junto com os presbíteros e o bispo ajudarem o povo de Deus na formação. É necessária uma forte comunhão para que se possa orientar, coordenar, dialogar e corrigir. Sendo servidores da Igreja, sendo felizes, sendo homens de trabalho, da família e da Igreja, saibam dizer “SIM” como Maria em todos os dias da vida.  A partir desse “Fiat”, doem-se totalmente e levem o povo a também responder positivamente ao chamado de Deus.

SOBRE O DIACONATO: O diaconato é o primeiro grau de Sacramento da Igreja Católica. Os novos diáconos não poderão exercer o sacerdócio por serem casados, mas têm importante papel na igreja, pois uma de suas principais funções é instruir a comunidade, na qual estão inseridos, na correta participação em suas paróquias e principalmente levar a Palavra de Deus à população.

OS 28 DIÁCONOS:  Os 28 homens ordenados foram indicados pelos párocos de suas paróquias, eles fazem parte da terceira turma da Escola Diaconal Monsenhor Tadeu.  A exigência mínima para tal Ministério é primeiramente, a vocação ao chamado de servir. Deve ser um leigo frequente e atuante na Paróquia, deve ter idade mínima de 35 anos,  no mínimo ter 5 anos de casado, cursar por 4 anos o Curso de Teologia para Leigos e em seguida por mais 4 anos receber a formação da Escola Diaconal. No último dia 21 de dezembro 2016 eles receberam os Ministérios do Acolitato e Leitorato em Missa Solene presidida por Dom José Alberto Moura.

TESTEMUNHO DE QUEM JÁ ESTÁ NA CAMINHADA: Geraldo Magelo de Abreu há 9 anos exerce o diaconato na Arquidiocese de Montes Claros, casado com Selma Abreu e pai do Arthur e da Isabela, o vocacionado diz que o ministério assumido mudou sua vida,  um compromisso maior com o serviço na Igreja. “Sou muito feliz na minha missão em servir a minha Arquidiocese em obediência ao Meu Bispo Dom José , que tem apoiado o Diaconado com muito carinho e ao mesmo tempo em unidade com os irmãos  diáconos e padres nos trabalhos  Paroquiais”. Destacou ainda a importância da esposa nesse processo de doação e serviço. “ Agradeço ao amor recebido da minha família, minha esposa que serve junto comigo, apoiando e cuidando juntamente ao meu lado, com um zelo indescritível  de nossos filhos, em especial o Arthur, que tem uma doença rara e que requer de nós (pais e irmã) uma atenção redobrada”, pontua Magelo.

Em relação aos novos companheiros de trabalho finaliza dizendo: “Vejo que agora aumenta mais o nosso dever de trabalhar para o Reino de Deus neste Sertão,pois a turma aumentou e o Diácono deve e precisar ser Sinal de  uma Igreja Servidora”

EXPECTATIVA DE QUEM ESTÁ ASSUMINDO A MISSÃO AGORA: A opinião do veterano não difere de quem ainda vai iniciar a missão.  “Deus realmente é tudo em nós! Antes mesmo de nascermos ele já nos conhece e tem planos para nós. Muitas vezes, em nossa vida, os estudos, o trabalho e a família, acabam nos consumindo muito tempo e energia… mas, volta e meia ou quase sempre, o amor de Deus fala mais alto”, é o que diz o candidato ao diaconato, Giovani Siervi Andrade, casado há 19 anos com Shirley Soares Mota Siervi, e pai de dois filhos frutos dessa união. Ao ser interpelado sobre a  nova missão disse: “Jesus de Nazaré escolheu quem Ele quis, não foram os mais inteligentes ou mais famosos, mas aqueles que tiveram disponibilidade para aceitar o seu chamado”, assim se coloca também este servo à serviço do Reino. “Após esse “chamado”, somos enviados para a missão: anunciar o Reino de Deus no mundo. Minha expectativa é de poder levar a presença de Deus em ambientes que a igreja  muitas vezes tem dificuldades. Na família, no ambiente policial e no mundo jurídico. Mas não como pregador fanático, mas sim com o exemplo de vida na família, na comunidade e no trabalho”, finalizou Giovani que é delegado Regional da Polícia Civil e se tornará também um diácono permanente da Arquidiocese de Montes Claros.

HOMENAGEM: Seria ordenado também junto com essa turma, Alvimar Ribeiro dos Santos da Pastora da Terra e da Comunidade São Pedro da Vila Atlântida, em Montes Claros/MG. Alvimar dos Santos faleceu em 19 de agosto de 2016. No momento de Ação de Graças a esposa e filhos de Alvimar foram convidados ao Presbitério, e receberam das mãos de Dom José,  a estola que ele usaria como diácono permanente, todas autografadas pelos 28  diáconos, então colegas dele no processo de formação. Padres e seminaristas também assinaram a peça entregue à esposa. Ao filho, um quadro com fotos da missão  de Alvimar, também ficaram eternizadas em fotografias em meio à uma mensagem escrita pelo Arcebispo sobre o homem de fé que foi Alvimar Ribeiro dos Santos. A comoção tomou conta de todos que presenciaram a homenagem feita pelos colegas.

SÃO NEO-DIÁCONOS PERMANENTES DA ARQUIDIOCESE DE MONTES CLAROS:
Alvimar Ribeiro dos Santos (in memorian)
Alvino Siardo Rodrigues Nobre
Arthur Pereira Barbosa
Edcácio Alves Corrêa
Gildo Patrocínio Cardoso
Giovani Sierve Andrade
Jéson Damasceno Gonçalves
João Batista Gomes Maia
João Fábio de Souza
José Francisco Monteiro
José Osmar Fonseca de Melo
Leonardo Antônio de Freitas Cabral
Milton Machado Júnior
Milton Ney Souza Lopes
Osmar Ferreira Gomes Júnior
Osvaldo Luiz de Souza
Paulo Antônio Nascimento
Paulo Antônio do Nascimento
Raimundo Alves Rodrigues
Raimundo Mendes Ferreira
Robson Duarte Rodrigues
Sidney Silva Costa
Ubajara Braga Frois
Valdemar Rodrigues dos Anjos
Vivaldo dos Reis Ferreira
Wagner de Jesus Ribeiro
Waldir de Brito
Wander Calheiros Pereira
Wilson Campos Oliveira Filho

“(…) e Vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na Vossa presença e Vos Servir” ( Oração Eucarística II)

O único registro de uma ordenação de igual proporção aconteceu em novembro do ano passado em São Luiz no Maranhão com apenas 27 homens

Colaborou com esse Texto: Isabela Oliveira – PASCOM ARQUIMOC enviando a Homilia de D. José .
_______________________________________
***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Fonte: arquimoc.com

Na última quarta-feira, 22 de fevereiro, o Papa Francisco nomeou como Arcebispo coadjutor da Arquidiocese de Montes Claros Dom João Justino de Medeiros Silva.

A posse do Arcebispo Coadjutor será no dia 13 de maio, na Festa do Centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima, às 9 horas, na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.

Toda a Igreja particular de Montes Claros acolheu com muito carinho a notícia da vinda de Dom João para a Arquidiocese, que muito irá contribuir junto ao pastoril de Dom José Alberto Moura, que em 2018 fará 75 anos e de acordo com o Código de Direito Canônico deverá apresentar a sua renúncia..

Mensagens de internautas de várias cidades não param de chegar nas redes sociais da Catedral, desejando felicitações ao novo Bispo.

Dom João Justino de Medeiros Silva é doutor e mestre em Teologia, pela Universidade Gregoriana de Roma. Ingressou no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio em 1984 onde cursou Filosofia e Teologia. Gradou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF). Foi perito da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB. Na Arquidiocese de Juiz de Fora, foi Vigário Episcopal para a Cultura, Educação e Juventude e secretário do Colégio de Consultores. Foi professor e coordenador do curso de Teologia do CES/JF. Em 2004, tornou-se reitor do Seminário Arquidiocesano de Juiz de Fora (MG). Na cidade mineira, também foi pároco-solidário na Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Benfica e Paróquia do Bom Pastor. Também foi Vigário Paroquial na Paróquia de São Pedro.

Filho do casal Justino Emílio de Medeiros Silva e Maria de Lourdes Medeiros Silva, dom João Justino nasceu no dia 22 de dezembro de 1966 em Juiz de Fora (MG). Foi ordenado padre em 13 de dezembro de 1992. O Papa Bento XVI o nomeou bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte no dia 21 de dezembro de 2011. Dom João Justino recebeu a ordenação episcopal no dia 11 de fevereiro de 2012, na Catedral de Santo Antônio, em Juiz de Fora (MG).

Mensagem de dom João Justino ao Arcebispo Dom José Alberto Moura e a todos da Arquidiocese de Montes Claros

Prezado Dom José Alberto Moura, com sentimento de gratidão ao Papa Francisco por confiar-me a missão de Arcebispo Coadjutor de Montes Claros, apresento a minha saudação fraterna ao senhor e a todo Povo de Deus da Arquidiocese de Montes Claros. Acolhi com serenidade e disposição missionária o envio da Igreja: “Sai” de Belo Horizonte e “vai” para Montes Claros. Com fé, respondo: Eis-me aqui. Envia-me para dar testemunho da luz.

Com especial gratidão à Arquidiocese de Belo Horizonte, na pessoa de seu Arcebispo Metropolitano, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, que me acolheu como bispo auxiliar, olho para Montes Claros com o coração cheio de esperança: uno-me, agora, a todos para juntos trilharmos os caminhos nessa centenária Igreja.

Quero saudar, especialmente, cada presbítero e diácono, consagrado e consagrada, religioso e religiosa, vocacionado e vocacionada, leigo e leiga. Votos de paz a todos: as comunidades e às famílias, às crianças e pessoas idosas, aos jovens, enfermos, agentes de pastorais, ministros e ministras, catequistas, movimentos eclesiais, associações e novas comunidades. Espero e desejo começar, tão logo, a visitar as comunidades, lugar da experiência da fé, para encontrá-los.

Vou de coração aberto para escutar cada um de vocês. Quero acolher todas as pessoas, primeiras destinatárias da minha missão. Vou de mãos estendidas para somar minhas forças às de vocês na ação evangelizadora. Sigo com a disposição para caminhar junto com Dom José Alberto Moura e com toda a Igreja de Montes Claros, na comunhão e na fraternidade.

Estendo minha saudação a todas as autoridades dos municípios que integram a Arquidiocese de Montes Claros. Saúdo, também, os irmãos membros de outras comunidades cristãs e de diferentes tradições religiosas. No espírito da missão de Jesus Cristo, trabalhemos juntos “para que todos tenham vida” (Jo 10,10).
Peço que rezem por este pastor que já está em profunda comunhão com o Arcebispo Metropolitano na condução da Igreja de Montes Claros. Nossa Senhora, Mãe da Igreja, me acompanhe. Que a oração nos dê a compreensão necessária para o exercício de nosso ministério. Contem comigo. Sei que poderei contar com vocês. Brevemente estaremos juntos.

Com meu fraterno abraço.

+ João Justino de Medeiros Silva
Nomeado Arcebispo Coadjutor de Montes Claros
Belo Horizonte, 22 de fevereiro de 2017, Festa da Cátedra de São Pedro

Fonte: http://arquimoc.com

O Papa Francisco nomeou nesta quarta-feira, dia 22 de fevereiro, o bispo auxiliar dom João Justino de Medeiros Silva para a Arquidiocese de Montes Claros. Dom João será arcebispo coadjutor.

O arcebispo dom Walmor agradece dom João Justino pela dedicação à Arquidiocese de Belo Horizonte. “A Arquidiocese de Montes Claros, com a nomeação do Papa Francisco, ganha um dedicado e entusiasmado servidor que, exemplarmente, testemunha o Evangelho de Jesus Cristo. Vamos juntos pedir a Deus que continue a iluminar o ministério de dom João Justino nessa nova missão”.

Dom João Justino de Medeiros Silva é doutor e mestre em Teologia, pela Universidade Gregoriana de Roma. Ingressou no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio em 1984 onde cursou Filosofia e Teologia. Gradou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF). Foi perito da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB. Na Arquidiocese de Juiz de Fora, foi Vigário Episcopal para a Cultura, Educação e Juventude e secretário do Colégio de Consultores. Foi professor e coordenador do curso de Teologia do CES/JF. Em 2004, tornou-se reitor do Seminário Arquidiocesano de Juiz de Fora (MG). Na cidade mineira, também foi pároco-solidário na Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Benfica e Paróquia do Bom Pastor. Também foi Vigário Paroquial na Paróquia de São Pedro.

Filho do casal Justino Emílio de Medeiros Silva e Maria de Lourdes Medeiros Silva, dom João Justino nasceu no dia 22 de dezembro de 1966 em Juiz de Fora (MG). Foi ordenado padre em 13 de dezembro de 1992. O Papa Bento XVI o nomeou bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte no dia 21 de dezembro de 2011. Dom João Justino recebeu a ordenação episcopal no dia 11 de fevereiro de 2012, na Catedral de Santo Antônio, em Juiz de Fora (MG).
Mensagem de dom João Justino a Dom Walmor e a todos da Arquidiocese de Belo Horizonte

Prezado Dom Walmor, ao ser anunciada, hoje, minha nomeação como Arcebispo Coadjutor de Montes Claros, vem logo em meu coração o sentimento de gratidão por tudo o que vivi e aprendi nestes cinco anos de ministério episcopal. Servir ao Povo de Deus na Arquidiocese de Belo Horizonte, como bispo auxiliar, foi uma enorme dádiva para que eu compreendesse de modo profundo os horizontes da missão da Igreja. Mais uma vez o senhor foi meu formador: em Juiz de Fora, me ensinou a ser padre. Nestes últimos anos, me ensinou a ser bispo, servidor do Povo de Deus, nesta querida Igreja de Belo Horizonte. Conviver com o senhor e com os irmãos bispos – Dom Joaquim Mol, Dom Edson Oriolo, Dom Wilson Angotti e Dom Luiz Gonzaga – foi especial oportunidade de crescimento. Sinto-me abençoado por esta experiência que agora se conclui com o envio da Igreja: “Sai” de Belo Horizonte e “vai” para Montes Claros. Respondo, na serenidade e na fé: Eis-me aqui. Envia-me para dar testemunho da luz.

A minha gratidão se estende, especialmente, à Região Episcopal Nossa Senhora da Piedade, onde pude acompanhar bem de perto a vida das comunidades na atenção ao clero e aos leigos. Em todos os lugares por onde passei sempre fui muito bem acolhido e ouvido. Na memória agradecida guardarei as melhores lembranças da generosidade, da benevolência e da hospitalidade fraterna das pessoas da Rensp, como carinhosamente chamamos a Região Episcopal. Gratidão ao padre José Marcilon da Silva que esteve ao meu lado como Vigário Episcopal nestes cinco anos. Votos de abençoada missão ao padre Marcelo Carlos da Silva, SSS, novo Vigário Episcopal da Rensp.

Expresso minha gratidão, também, às Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, aos membros e colaboradores dos serviços arquidiocesanos, a exemplo da Secretaria Geral, Cúria da Rensp, Chancelaria, Tribunal Eclesiástico, Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral, CAMENC, SAVC, Pastoral Presbiteral, SAJ, SAV, Assessoria de Comunicação e Marketing, SACEJ, todos os servidores da Mitra Arquidiocesana e Instituições vinculadas à Arquidiocese.

Agora que o Projeto de Evangelização “Proclamar a Palavra” está dando os seus primeiros passos, levarei comigo o aprendizado dos processos participativos e comunitários que aqui pude viver.

Chegue ao coração de cada bispo, padre, diácono, consagrado e consagrada, religioso e religiosa, vocacionado e vocacionada, leigo e leiga a minha gratidão pelos caminhos que percorremos juntos. Confio que me acompanhará a Mãe da Piedade, cujo manto se estende por todas as terras mineiras. Conto com a amizade e a oração de todos.

+ João Justino de Medeiros Silva
Nomeado Arcebispo Coadjutor de Montes Claros
Belo Horizonte, 22 de fevereiro de 2017, Cátedra de São Pedro Apóstolo

Fonte: Arquidiocese de BH

A Sexta-Feira da Paixão é celebrada nesta manhã em Montes Claros, na Região Norte de Minas Gerais. Os homens saíram da Catedral de Nossa Aparecida, carregando dezenas de cruzes com a palavra “paz”. Levaram a frente a imagem de Nosso Senhor dos Passos. As mulheres saíram da Matriz de Nossa Senhora e São José com a imagem de Maria, mãe de Cristo. Os dois grupos se encontraram na Praça Flamaryon Wanderley, no Bairro São José, acompanhado por milhares de fiéis.

A pregação da Procissão do Encontro foi feita pelo arcebispo metropolitano dom José Alberto Moura. Ele destacou que “vivemos um momento politico difícil” e pediu aos fiéis para votarem “com consciência” nas eleições deste ano. Também solicitou para que todos rezem e ajudem na “missão de consertar o mundo”. “Inspirados em Jesus, temos a missão de consertar o planeta e cuidar do meio ambiente,que está muito destruído”, disse dom José Alberto.

O arcebispo também pediu pela paz e a união das pessoas. “Sejamos pessoas juntas na missão de consertar o mundo, sem individualismo”, conclamou.

Luiz Ribeiro

Fonte: em.com.br

No dia 17 (dezessete) e março, na Missa da Unidade e dos Santos Óleos, a Catedral inaugurou um mais novo sistema de Comunicação: a TV CATEDRAL.

Desde 1963, quando o Papa Paulo VI aprovou e promulgou o Decreto “Inter Mirifica”, os meios de comunicação social tornaram-se parte integrante da evangelização,  de tal modo que o seu uso passou a ser considerado um dever dos pastores e dos fiéis na ação pastoral da Igreja, como se vê do trecho a seguir:

“Todos os filhos da Igreja, unanimemente e de comum acordo, esforcem-se por que, sem demora e com o máximo de empenho, se empreguem eficazmente os meios de comunicação social nas multiformes obras de apostolado, como o estão a exigir instantemente a conjuntura das coisas e dos tempos, antecipando-se às más iniciativas, sobretudo naquelas regiões onde o progresso moral e religioso requer um trabalho mais urgente.” (Decreto “Inter Mirifica” n. 13)

Mais recentemente, no ano de 2007, a V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, através do Documento de Aparecida, enfatizou a importância dos meios de comunicação social para a Igreja dos tempos modernos, chegando a afirmar que a Igreja deveria se sentir culpada caso não lançasse mão dos novos instrumentos de evangelização, como se vê a seguir:

“A Igreja se sentiria culpada diante de Deus se não empregasse esses poderosos meios, que a inteligência humana aperfeiçoa cada vez mais. Com eles, a Igreja ‘proclama sobre os telhados’ a mensagem da qual é depositária. Neles, encontra uma versão moderna do ‘púlpito’. Graças a eles, pode falar às multidões. ” (Documento de Aparecida n. 485)

Nesse mesmo sentido, o Documento 100 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), intitulado “Comunidade de Comunidades: Uma Nova Paróquia”, aborda sobre os meios de comunicação social como uma nova forma de interação entre os fiéis que participam de uma comunidade e enfatiza que “a ausência da paróquia nesses meios é inconcebível” (Doc. 100 n. 312).

Atendendo aos apelos da Igreja, a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida inaugura, nesta quinta-feira (17/03), por ocasião da Missa dos Santos Óleos, o seu novo sistema de comunicação social.

Trata-se de um moderno e arrojado projeto, que engloba tanto os recursos mais usuais de comunicação, como o Facebook, Whatsapp, Twitter e Instagram, todos eles já em pleno funcionamento, quanto serviços mais complexos como a Rádio Catedral e a TV Catedral, que visam a transmitir, ao vivo, o áudio e a imagem de todas as Santas Missas celebradas na Igreja.

Relativamente à TV Catedral, um dos últimos investimentos tecnológicos realizados, foram instaladas 04 câmeras de alta resolução em pontos estratégicos da Igreja, as quais captam as imagens das celebrações e enviam tanto para os monitores – 07 TVs instaladas para favorecer a visibilidade das pessoas que se assentam próximas às colunas e que, de outra maneira, não conseguiriam enxergar o presbitério e o altar – quanto para o YouTube, onde a Catedral possui um canal que transmite ao vivo, e para o mundo inteiro, as suas celebrações eucarísticas. Não sem razão, a Catedral de Montes Claros desponta hoje como uma das primeiras igrejas católicas no Brasil a transmitir ao vivo, pelo Youtube, todas as suas missas.

E para coroar todas essas inovações, a Catedral acaba de fechar com a TV Gerais uma parceria através da qual, toda semana, a Missa dos Enfermos, que acontece às 07h na quarta-feira, será transmitida ao vivo por esse canal, de modo a favorecer a participação de pessoas que não podem ir à Igreja e, por essa razão, receberão a presença da Igreja em sua casa.

Por isso, o que cabe a nós, nesse momento, é agradecer. Primeiro a Deus, por nos confiar um projeto de Igreja tão audacioso e inovador. Depois, à Rádio Educadora AM, que, há tempos, transmite a Missa dos Enfermos semanalmente para ouvintes em Montes Claros e região. A todas as outras rádios e TVs que sempre nos acompanham e nos apoiam em nossos projetos. Aos nossos dizimistas, sem os quais nada disso seria possível. Aos membros da Pastoral da Comunicação, que trabalham incessantemente para que esse, e outros projetos, se tornem realidade. Aos católicos em geral e às pessoas de boa vontade que sempre se solidarizam conosco. E por último, mas não menos importante, ao nosso Pároco, Frei Valdo, e ao nosso Arcebispo, Dom José Alberto, grandes comunicadores que, com gestos e palavras, têm trazido inúmeros benefícios à Igreja do Norte de Minas Gerais.

A todos os nossos paroquianos e católicos em geral, e a todos os assinantes do Jornal Gazeta Norte-Mineira, uma feliz e abençoada Páscoa!

Atenciosamente,

Pe. Wagner Eduardo Dias,

Vigário Paroquial da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.

 

Aconteceu neste domingo, 21 de junho, um encontro ecumênico, que contou com a participação de diversas Igrejas Cristãs de Montes Claros e com a presença de vários Pastores Evangélicos, Missionários, fiéis e de um Sacerdote.

O evento foi organizado pelo Pastor Josmar, do Ministério Leão de Judá, durante a inauguração da Casa de Acolhida para Missionários, que está localizada no Centro de Montes Claros, e que tem o objetivo de abrigar missionários das diversas Igrejas Cristãs em missão ou passagem por Montes Claros.

Na oportunidade, o Padre Valdomiro Soares Machado (Frei Valdo) foi homenageado pelo Pastor Josmar, pelo relevante trabalho que vem prestando através do acolhimento, do respeito pelas diversidades e da busca pela unidade naquilo que é comum entre as diversas Igrejas Cristãs.

Frei Valdo, que é o Coordenador Arquidiocesano do Diálogo Inter-religioso e do Ecumenismo em Montes Claros, ressaltou que: isto é inédito! “Congregar tantos irmãos, de tantas denominações para louvar o mesmo Senhor, é inédito em nossa cidade”, disse ainda, “que tudo isso é o amor, a misericórdia e a generosidade de Deus por todos os seus filhos amados”.

Após as orações e louvores, todos se confraternizaram com um delicioso jantar.

Este foi mais um passo de Unidade entre os Cristãos na nossa Arquidiocese.

Dentro da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que ocorrerá de 17 e 24 de maio, buscando refletir sobre a unidade cristã e o diálogo entre as religiões, e do período litúrgico que a Igreja Católica vive, a Catedral Metropolitana de Montes Claros realizará a “Vigília de Pentecostes pela Unidade dos Cristãos”.

A Vigília acontecerá no dia 21 de maio, quinta-feira, das 18:30 à meia-noite, com Celebração Eucarística e Adoração ao Santíssimo Sacramento, que serão presididos pelo Pároco Padre Valdomiro Soares Machado (Frei Valdo) e pelos Vigários Padre Wagner Eduardo e Frei Ari.

Todos os fiéis são convidados a participarem deste momento forte de oração pela paz e unidade entre os cristãos.

Ainda dentro da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, a Pastoral da Educação e Diálogo Inter-religioso, promoverá um Culto Ecumênico na Câmara dos Vereadores de Montes Claros, no dia 25 de maio, às 19:00 horas.

O corpo de Dom Geraldo, que faleceu ontem, 14 de maio, pela manhã, chegou na Catedral Nossa Senhora Aparecida, às 23 horas, trazido da Matriz de Nossa Senhora da Conceição e São José em carreata.

Durante toda a noite e início da manhã, várias missas de corpo presente foram celebradas na Igreja Mãe, por diversos Padres da Arquidiocese.

A primeira celebração foi presidida pelo Pároco da Catedral Frei Valdo, e concelebrada pelos Vigários Padre Wagner e Frei Ary.

E a última, hoje, 15 de maio, às 9hs, teve como presidente o Arcebispo de Montes Claros, Dom José Alberto Moura, e como concelebrantes Dom Jorge Alves Bezerra, Bispo de Paracatu; Dom Leonardo de Miranda Pereira, Bispo Emérito de Paracatu; Dom Hugo van Steeklenburg, Bispo Emérito de Almenada; e mais de 80 Padres da Arquidiocese de Montes Claros e outras Dioceses.

Além do Clero, estiveram presentes familiares, autoridades,  religiosos, religiosas, e também  uma multidão de fiéis que lotou a Praça Pio XII, para dar o seu último adeus a Dom Geraldo.

Depois da Celebração, o corpo saiu em cortejo em direção à Cripta, onde Dom Geraldo foi sepultado.

A Cripta da Catedral ficará aberta durante todo este mês de maio, para que os fiéis possam visitar o túmulo de Dom Geraldo.

Com a modernidade e as facilidades de comunicação pelas redes sociais, assim que o nosso Arcebispo Emérito Dom Geraldo Majela de Castro faleceu, na manhã desta quinta-feira (14), às 6h10, aos 84 anos, em decorrência de complicações da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), o que ocasionou a falência múltipla dos órgãos, rapidamente as notícias se espalharam e percebeu-se claramente o quanto Dom Geraldo era querido e amado por um grande número de fiéis, e a sua grande importância, não só para a Igreja Católica, mas também para todo o Norte de Minas.

O que não faltaram foram palavras de pesar, consternação, homenagens, admiração, gratidão e respeito pelo religioso.

Confira aqui, algumas notas:

http://www.cnbb.org.br/imprensa-1/sala-de-imprensa/notas-e-declaracoes-3/16507-nota-de-pesar-pelo-falecimento-de-dom-geraldo-majela-de-castro

http://noticias.cancaonova.com/morre-dom-geraldo-majela-de-castro-aos-84-anos/

http://jornalmontesclaros.com.br/2015/05/14/montes-claros-governador-de-minas-emite-nota-de-pesar-pelo-falecimento-de-dom-geraldo.html

https://m.facebook.com/camaramoc/posts/814040365312599

https://m.facebook.com/photo.php?fbid=625181364282896

http://www.acimoc.com.br/site/noticias/279//*/nota-de-pesar.html

http://unimontes.br/index.php/component/content/article/42-destaques-principais/14175-2015-05-14-15-40-30

http://g1.globo.com/mg/grande-minas/noticia/2015/05/portador-de-ela-arcebispo-emerito-de-montes-claros-morre-aos-83-anos.html

http://montesclaros.com/noticias.asp?codigo=72317

 

Faleceu, na manhã de hoje (14 de maio), por falência múltipla de órgãos o Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Montes Claros, DOM GERALDO MAJELA DE CASTRO.

Filho de Eunápio Raymundo de Castro e Ana Batista de Castro, Dom Geraldo Majela de Castro nasceu em Montes Claros no dia 24 de junho de 1930. Primeiro de uma prole de nove filhos, foi batizado no dia 23 de julho de 1930 com o nome de João José de Castro. Ingressou na Ordem Premonstratense e adotou o nome religioso de Geraldo Majela. Foi ordenado padre no dia 8 de dezembro de 1953 e sagrado Bispo no dia 8 de setembro de 1982 na Matriz de Nossa Senhora e São José.

Em seu ministério episcopal atuou primeiro como coadjutor de Dom José Alves Trindade, Bispo Emérito morto no início de 2005, e depois, a partir de primeiro de junho de 1988, como Bispo titular desta Igreja Particular. Seu lema é Ite et vos – “Ide vós também para a minha vinha”.

No dia 29 de junho de 2001, Dom Geraldo Majela foi nomeado pelo Papa João Paulo II primeiro Arcebispo Metropolitano da Província Eclesiástica de Montes Claros, a 39ª do país, que elevou a Diocese de Montes Claros à condição de Arquidiocese ou Sede Metropolitana. Teve como antecessores Dom João Antônio Pimenta (primeiro Bispo), Dom Aristides Porto, Dom Antônio Morais, Dom Luiz Victor Sartori e Dom José Alves Trindade. Em 2005 comemorou 75 anos de vida.

No dia 7 de fevereiro de 2007 tornou-se arcebispo emérito de Montes Claros, com a aceitação pelo Papa Bento XVI de seu pedido de renúncia, feito em meados de 2005, quando completou 75 anos, idade-limite fixada no Código de Direito Canônico para que o episcopado renuncie.

As celebrações exequiais acontecerão a partir da 12:00hs no Priorado Premonstratense até as 17:00hs. Este horário, o corpo seguirá para a Matriz de Nossa Senhora da Conceição e São José e dali sairá para a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida às 23:00hs, onde continuará sendo velado, com celebração da santa missa de hora em hora. Às 9:00hs, de sexta-feira (15/05) acontecerá na Catedral a Celebração da Missa de Corpo Presente e logo após o sepultamento na Cripta, onde outros Bispos de Montes Claros estão enterrados.

Elevemos ao Pai das Misericórdias nossa súplica filial para que Dom Geraldo seja acolhido, pelos anjos e santos, no festim da eternidade, pelas mãos da Virgem de Fátima.

Que ele ouça dos lábios do Cristo, Pastor dos pastores, o convite: vem, servo bom e fiel, e entra na alegria de teu Senhor. (Mt 25,23) Receba a coroa da glória eterna por ter combatido o bom combate e guardado a fé, numa vida de intensa dedicação a Deus e ao seu povo santo. Configurado ao Senhor Jesus, Sacerdote, Profeta e Rei, pelas Sagradas Ordens, participe agora do banquete celestial, e alcance a visão bem-aventurada.

 

Galeria de Fotos

0 669
Com a Santa Missa presidida por Frei Valdo (Padre Valdomiro Soares Machado), Pároco da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida de Montes Claros, iniciou-se a...