Paróquia Catedral

Após o encerramento de um conjunto de grandes Festas católicas como a Páscoa, Ascensão do Senhor, Pentecostes, Santíssima Trindade e Corpus Christi, a liturgia nos leva a contemplar o Sagrado Coração de Jesus. Este ano, a solenidade que é comemorada sempre na segunda sexta-feira após o Corpus Christi, é celebrada neste dia 23 de junho.

Com o tema: ‘Só Jesus é bom’, a paroquia Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida iniciou ontem (21), o tríduo em preparação para a festividade. Durante a homilia, o padre Valdomiro Soares Machado (frei Valdo), chamou a atenção da sociedade atual para se voltar mais a Jesus Cristo que as coisas do mundo material. “Nesta Solenidade, Jesus nos chama a participar da vida divina do desapego das riquezas materiais e a partir da partilha com os necessitados ao promovermos a vida no mundo em comunhão com o próximo e com Deus”, destaca.

O sacerdote falou sobre a proposta apresentada por Jesus aos discípulos de ontem e os de hoje em relação à prática da caridade, da oração e do jejum que eram tidas no passado como obras de justiça em que as pessoas praticavam para serem vistas e reconhecidas pelas mesmas. “Nesta exortação, Jesus vem desmascarar a hipocrisia dos chefes de Israel e também dos chefes de hoje. Tudo deve ser feito numa humilde relação com Deus, sem ostentação e sem luxo. Os poderosos deste mundo sempre ostentam a aparência de bondade e de justiça fazendo leis para enganar o povo brasileiro e se consolidarem no poder. Jesus, neste tríduo de preparação para a Festa do Seu Sagrado Coração, vem desmascarar esses falsas aparências, pois só há piedade quando as obras são práticas em vista do amor ao próximo e da restauração da vida”, adverte frei Valdo.

A devoção ao Sagrado Coração teve início com São João Eudes e Santa Margarida Maria de Alacoque, no século XVII, embora a devoção remonte aos séculos XIII e XIV, com a primeira aprovação pontifícia no século seguinte. No ano 1856 o Papa Pio IX estendeu a festa a toda a Igreja e em 1928 o Papa Pio XI concedeu à devoção a máxima categoria litúrgica, de solenidade.

 

2º Dia

Neste segundo dia o tema do tríduo é: “Tornou-se igual a nós”

 

3º Dia

Santa Missa e Festa do sagrado Coração de Jesus

 

 

Encerrou no início da noite desta quinta-feira (15), na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, a Solenidade de Corpus Christi, com a benção do Santíssimo Sacramento. A missa foi presidida pelo arcebispo metropolitano de Montes Claros, dom José Alberto Moura e concelebrada pelos padres da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, e das paróquias Santa Rita de Cássia, Nossa Senhora do Socorro e Todos os Santos, Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora da Conceição e São José. Aconteceu ainda a procissão com o Santíssimo.

O ponto de partida da homilia de dom José foi o Evangelho de São João ‘Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele’ (Jo 6, 56). “Jesus mostra quem ele é, para que veio e sendo o nosso alimento, porque sem ele nós, na nossa fraqueza, não somos capazes de suportar a caminhada, aqui, na direção vivificada pelo próprio Pai de Jesus e, também, nosso. Ele vai à frente e nos indica como realizar isto com a força do alimento da carne e do sangue d’Ele”, exorta o arcebispo.

Na reflexão, dom José falou ainda sobre a caminhada e a contribuição dos católicos para promover uma intensa mudança na realidade que o Brasil vive atualmente, mas para isso é preciso estar alimentado com o corpo de Cristo.  “Precisamos caminhar com Jesus na Eucaristia, dentro de nós, para que olhemos para essa realidade que precisa ser mudada no nosso país. Por isso, ao votarmos precisamos fazer boas escolhas para que não nos culpemos posteriormente. E Jesus nos mostra isso nesta solenidade para que tenhamos alegria e esperança na nossa sociedade, na nossa família e na nossa vida, porque mesmo seja crucificado em nós, Ele ressuscita e dá a vida”, ponderou.

O arcebispo comentou ainda sobre alguns tapetes de tecido que foram confeccionados para a procissão e falou da ação prática que será realizada pela Igreja. “Temos tapetes que nós não vamos pisar em cima deles, para não estragar porque nós queremos indicar com isto, um gesto na prática do amor, e posteriormente daremos estes cobertores aos pobres para se aquecerem neste período de frio”, concluiu.

P6150203 P6150128 P6150142 P6150157 P6150159

Desde início da manhã desta quinta-feira, a comunidade católica trabalha na confecção de tapetes para a celebração de Corpus Christi, em Montes Claros. Na região central, a produção dos tapetes foi realizada pelas paróquias Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida,  Santa Rita de Cássia, Nossa Senhora do Socorro e Todos os Santos, Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora da Conceição e São José. Dos tapetes montados, 30 trabalhos foram realizados por voluntários da Catedral.

De acordo com o padre Ari Piedade da Silva, vigário da Catedral, a confecção dos tapetes surgiu em Liége, na Bélgica, por inspiração de uma freira e ela solicitou que a Igreja colocasse a celebração publicamente que foi aprovada pelo papa e tornou-se essa tradição católica. “Esses tapetes são para colocar o Santíssimo – corpo e sangue de Jesus Cristo – publicamente exposto para que, de fato, o público pudesse venerar e receber também a graça”, comenta padre Ari.

São dezenas de pessoas como Odete Martins de Oliveira Campos, uma das responsáveis pela confecção dos tapetes do grupo Apostolado da Oração. “A produção destes tapetes é uma maneira de expressarmos o nosso amor a Jesus Cristo nesta data, que é uma das mais importantes para nós católicos”, relata.

Milton Cordeiro Aguiar, um dos coordenadores dos ministros da Eucaristia, atribui a preparação dos tapetes a uma confraternização de grupos.  “Neste dia, cada um dos grupos, inspirados pelos dons do Espírito Santo, se doa para a preparação dos tapetes por onde passará a procissão”, comentou Milton Cordeiro.

O EAC foi um dos grupos de jovens que também contribuíram na preparação dos tapetes. “Essa participação na concepção dos tapetes demonstra o nosso sentimento de pertença, de alegria, simplicidade e espiritualidade dos jovens que muito contribuem para a Igreja”, destacou o coordenador do EAC, Renato Nunes Magalhães.

Esse momento de preparação dos tapetes é, segundo do padre Wagner Dias, muito importante. Além de promover a interação das pastorais, movimentos e grupos da Catedral,  favorece a união de todos em prol da mesma causa,  glorificar e exaltar o corpo e sangue de Jesus. “Nós católicos temos a consciência que o louvor e a adoração que Jesus merece se concretiza não só através de oração, mas também de gestos concretos. Cada tapete deste é uma mensagem que a Catedral de Montes Claros está mandando para Jesus Cristo: o quanto nós O amamos e o quanto nós O exaltamos neste dia. É, ainda, uma forma de agradecer a Deus pelo Santíssimo corpo e sangue de Jesus que nos foi entregue na Eucaristia. E também levar os fiéis a valorizarem esse sacramento, como diz a canção ‘É o mais sublime de todos os sacramentos’”, destacou padre Wagner.

A Santa Missa está marcada para as 16 horas, em frente à Matriz de Nossa Senhora da Conceição e São José e será presidida pelo arcebispo metropolitano de Montes Claros, dom José Alberto Moura. Na parte final da celebração eucarística, acontece a procissão. O trajeto sairá da praça da Matriz segundo pela rua Dr. Veloso, Dom Pedro II e praça da Catedral. Em frente à Igreja Catedral acontece a benção do Santíssimo Sacramento.

P6150094 P6150096 P6150104 P6150105 P6150106 P6150107 P6150109 P6150114

Nesta quinta-feira (15), a Igreja Católica celebra em todo o mundo o dia de Corpus Christi (do latim, que significa Corpo de Cristo), para celebrar a Eucaristia, um dos sete sacramentos. Na região central da cidade, o arcebispo dom José Alberto Moura preside a celebração às 16h, na Matriz de Nossa Senhora da Conceição e São José. No final da celebração acontece a procissão do Santíssimo Sacramento que percorre as ruas Dr. Veloso e Dom Pedro II até a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, onde acontece a bênção solene às 18h.

De acordo com o pároco da Catedral, padre Valdomiro Soares Machado (frei Valdo), Corpus Christi possibilita aos católicos reconhecer que Jesus Cristo está vivo e se faz o ‘pão descido do céu’ para saciar plenamente os católicos. “Corpus Christi é um feriado nacional no qual a Igreja Católica celebra o corpo de Cristo representado na Santa Eucaristia. Esse dia é soleníssimo, apesar de celebrarmos todos os dias, porque festejamos publicamente em todo o ‘mundo’ católico a presença de Jesus passando pelas ruas e abençoando as pessoas”, exorta frei Valdo.

Durante a missa o celebrante consagra duas hóstias; uma para ser consumida e a outra para ser adorada pelos participantes e que permanece na igreja como sinal da presença viva de Jesus. A data acontece sempre na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade, ou 60 dias após o Domingo da Páscoa, e recorda a última ceia de Jesus com os apóstolos.

JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL

A procissão de Corpus Christi deste ano será um apelo pela Jornada de Oração pelo Brasil. O Conselho Episcopal de Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) após refletir sobre a realidade do Brasil na sua última reunião, realizada nos dias 30 e 31 de maio, está organizando um momento de oração pelo Brasil, a ser realizada em todas as comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país.

Para frei Valdo, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os católicos prestem um serviço ao país, numa ação missionária, ao refletir toda a realidade vivida atualmente no Brasil. “O Corpus Christi deste ano tem um sentido todo especial para que Jesus abençoe o Brasil para, assim, por fim a tanta corrupção, a tanta falta de justiça, a tanta maldade com o nosso povo e a tanta violência no nosso país”, pondera.

CONFECÇÃO DOS TAPETES

A confecção dos tapetes na região central da cidade será feita pelas paróquias Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Conceição e São José, Santa Rita de Cássia, Nossa Senhora do Socorro e Todos os Santos e Sagrado Coração de Jesus que fazem parte do o setor Centro 2. Cada paróquia ficou responsável por um trecho do percurso. Na paróquia Catedral, a preparação dos tapetes, que serão confeccionados com areia, flores e borra de café, começa às 6h.

A Paróquia Catedral Nossa Senhora Aparecida realizou na noite de segunda-feira (5), a sua reunião extraordinária do Conselho Pastoral Paroquial. Sob a coordenação do pároco, padre Valdomiro Soares Machado (frei Valdo), os coordenadores de pastorais, de grupos de oração, de grupos de jovens e de ministérios e voluntários refletiram sobre as necessidades da igreja paroquial, sob a luz das recomendações do papa Francisco que pede uma ‘Igreja de Saída’, que vai ao encontro dos necessitados.

Frei Valdo ao refletir sobre a necessidade do sentimento de pertença das pessoas supera a igreja em si, sobretudo porque existem muitas pessoas e situações a quem o anúncio de Jesus ainda precisa ser feito, conforme apresenta o Anuário Paroquial. “Precisamos intensificar o trabalho da capelania nos hospitais; fazer um levantamento da quantidade de escolas na paróquia e a necessidade de cada uma; realizar um trabalho com os comerciantes; avaliar mecanismo para ajudar os moradores de rua, para que tenham um local para, por exemplo, fazer as refeições, tomar banho e ter acesso a uma acolhida humanizada”, apontou frei Valdo.

Ainda segundo existe um importante trabalho que já é realizado na paróquia, mas precisa ser intensificado essas ações para melhor acolher o irmão. “Para sermos verdadeiros cristãos missionários precisamos entrar na periferia existencial do outro”, exortou.

Durante a reunião foi anunciado que a Festa da Comunidade de Bom Jesus acontecerá entre 28 de julho e 6 de agosto. A Festa do Sagrado Coração de Jesus acontece entre 21 e 23 deste mês e sobre a preparação e confecção dos tapetes para a procissão de Corpus, no próximo dia 15.

IMG_9773 IMG_9769

Após a Missa pelas Almas, realizada nesta segunda-feira (5), na Capela da Ressurreição (Cripta) da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, foi lançado o livreto de cordel “A História de Nossa Senhora Aparecida – 300 Anos de Fé e Milagres 1717-2017”, do poeta cordelista Téo Azevedo.

Ainda dentro do evento de lançamento, o músico fez a apresentação de canções de sua autoria em parceria com outros compositores. No repertório teve “Ternos – pingos de saudade”, escrita em parceria com Cândido Canela. A canção fala sobre o saudosismo sertanejo e a natureza. “Juramento” – uma música que aborda a realidade vivida pelo rio Juramento -, composta em parceria com João Ramos. “Veredas do Grande Sertão”, numa parceria com Guimarães Rosa apresenta a poesia poética do Grande Sertão Veredas.

A dupla Ariedson e Renan encerrou o evento com a apresentação da canção “Santa Aparecida”, uma composição de Téo Azevedo. “Esta canção escrevi como sinal de devoção à Nossa Senhora Aparecida e em agradecimento por todas as graças alcançadas”, comentou Azevedo.

“Iniciamos o dia de hoje com a Santa Missa e depois ouvir estas canções maravilhosas de Téo Azevedo. Que esta voz, este amor e devoção à Nossa Senhora Aparecida seja contante na sua vida, para que Ela seja a sua protetora e, também, de todos nós”, disse dona Neusa Souto, ao final da apresentação.

O pároco da Catedral, frei Valdo, agradeceu a Téo Azevedo e a dupla Ariedson e Renan pelo repertório musical. “As apresentações foram belíssimas, tenho certeza que até o nosso saudoso dom Geraldo Majela se alegrou com estas canções”, comentou frei Valdo.



WP_20170605_08_21_01_Pro WP_20170605_08_15_30_Pro WP_20170605_08_06_31_Pro

Catedral recebe lançamento do livreto de cordel Nossa Senhora Aparecida

 

A Capela da Ressurreição da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida recebe nesta segunda-feira (5), a pós a Missa pelas Almas, às 8h, o lançamento do livreto de cordel “A História de Nossa Senhora Aparecida – 300 Anos de Fé e Milagres 1717-2017”, do poeta Téo Azevedo.

“Esse livreto narra a realidade que vivia os três pescadores que encontram a imagem de Nossa Senhora Aparecida nas água do Rio Paraíba, em São Paulo, bem como as graças que foi aquela pescaria após e os milagres posteriores concedidos pela padroeira do Brasil e a inspiração para que fosse criada primeiro, uma capela e, mais tarde, o Santuário Nacional de Aparecida. Tudo isso é benção concedida pela padroeira do Brasil às pessoas que entregam a Ela os seus pedidos e intenções”, comentou Téo Azevedo sobre o livreto de cordel.

Após o lançamento do livreto, Téo Azevedo fará um minishow com canções de sua autoria, entre tantas, Calix Bento.

 

 

O Encontro realizado no dia 23 de abril no parque municipal Milton Prates, em Montes Claros

A igreja convida os jovens a serem protagonistas da grande aventura da fé em que os seus corações apontam para o céu. Inspirados por essa motivação a Paróquia Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida está com inscrições abertas para o 45º Encontro de Adolescentes com Cristo que acontece nos dias 24 e 25 de junho, no Salão Paroquial João Paulo II, ao lado da Igreja Catedral.

O Encontro visa possibilitar aos jovens viverem no amor e na missão de fazer novos discípulos para enfrentar os desafios da vida e ao mesmo tempo ajudar na evangelização de outros jovens. “O Encontro de Adolescentes com Cristo – representa para os jovens cristãos um momento de renovação, reflexão e fortalecimento da fé, prezados pelo espírito de simplicidade, doação, oração e humildade”, destaca Renato Nunes Magalhães, coordenador do EAC da Catedral.

As inscrições que são destinadas a jovens com idade entre 12 e 15 anos, podem ser feitas na secretaria paroquial, pelo telefone (38) 3221-5028.

Neste ano Jubilar Mariano, em que a Igreja comemora 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida, 100 anos de Nossa Senhora de Fátima, e de uma forma especial em Minas Gerais, 250 anos de peregrinações ao Santuário Nossa Senhora da Piedade, Padroeira de Minas Gerais, em Caeté; a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida realizará a preparação da 5ª turma para “Consagração a Jesus pelas Mãos de Maria”, ou “Santa Escravidão de Amor”.

Este ano especial também será realizado o 1º Congresso Mariano da Paróquia, nos dias 12 e 13 de agosto. E será durante o Congresso Mariano que a Santa Missa de Consagração acontecerá. Tempo de muita graça, oração e intimidade com Nossa Senhora.

Se você deseja se tornar um escravo de Nossa Senhora, consagrando tudo o que tem e é, a Ela, faça aqui a sua inscrição e venha participar na Catedral de Montes Claros das formações que acontecerão nos seguintes dias e horários, no Centro Paroquial João Paulo II:

24/06/17 (sábado) – 08h30 às 11h30 /  14h às 16h30
01/07/17 (sábado) – 08h30 às 11h30 /  14h às 16h30
22/07/16 (sábado) – 08h30 às 11h30 /  14h às 16h30
05/08/17 (sábado) – 08h30 às 11h30 /  14h às 16h30
12/08/17 (sábado) – Consagração – 17h na Catedral durante o 1º CONGRESSO MARIANO DA CATEDRAL NOSSA SENHORA APARECIDA

Você pode fazer a sua inscrição preenchendo os dados abaixo, ou na Secretaria Paroquial da Catedral. (PEDIMOS QUE AO PREENCHER A FICHA SEJA FIEL AOS DIAS E HORÁRIOS DAS FORMAÇÕES. POIS AS VAGAS SÃO LIMITADAS E PARA QUE NÃO PREENCHA A VAGA DE OUTRA PESSOA QUE QUEIRA VERDADEIRAMENTE SE CONSAGRAR).

Informações pelo telefone 3221-5028

Inscrição gratuita.CONSAG-cliq

Após concluir a inscrição, você receberá um e-mail de confirmação.

Neste domingo (14), o arcebispo coadjutor dom João Justino celebrou na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida sua primeira Missa após a acolhida na Arquidiocese de Montes Claros. A Missa foi copresidida pelo arcebispo de Montes Claros dom José Alberto Moura e pelos padres Valdomiro Soares Machado (frei Valdo) e Wagner Dias e pelo diácono Emílio, irmão de dom Justino.

Na homilia dom João falou sobre a necessidade de se viver o batismo e que não há outra verdade maior que no Senhor. “Jesus suscitou no coração dos discípulos e, agora, nos nossos a vivencia da fé, de modo a não perturbar o coração, porque quando se tem fé não e que não sentimos receio ou medo, mas estes serão menores e estaremos mais confiantes em Deus”, exortou dom Justino.
Dom Justino falou ainda sobre o dia das Mães e da sua missão de proclamar a palavra de Deus a partir da gestação e do ato de amamentar. “Que as mães sejam a proclamadoras da palavra. Aquilo que foi dado pelos pais nunca e esquecido, pode não ser vivido, mas em algum momento pode floresce no coração do filho”, refletiu.

Neste sábado (13), dia em que a Igreja Católica comemora o centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, a Arquidiocese de Montes Claros celebrou a Missa de acolhida de dom João Justino como arcebispo coadjutor de Montes Claros. A Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida acolheu a cerimônia que foi presidida pelo arcebispo dom José Alberto Moura e concelebrada pelo arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo; o arcebispo coadjutor, dom João Justino; o bispo de Paracatu, dom Jorge e; o bispo de Januária, dom José Moreira, além de outros bispos.
O arcebispo de Montes Claros, dom José falou sobre a importância da acolhida nesta data em que se comemora os 100 anos das aparições em Fátima. “Acolhemos hoje o sucessor dos apóstolos e também meu, com a minha aposentadoria em 2018. Inicialmente dom João Justino me auxiliará e oportunamente assume como arcebispo titular. Hoje também completa o centenário que Nossa Senhora apareceu aos pastorinhos em Fátima com a mensagem que chamava à oração e de se viver seguindo o Cristo Jesus. Maria é uma marca na história desde que se colocou a serviço do projeto de Deus ao aceitar ser a mãe do Salvador. As aparições reforçam este exemplo e para nós é um estímulo muito grande para que também nós possamos realizar a vontade de Deus”, destacou dom José.
Dom Walmor falou sobre a contribuição de dom João Justino à arquidiocese de Belo Horizonte e desejou sucesso nessa nova missão evangelizadora. “Dom João é um homem de Deus muito bem formado, competente, simples e próximo do povo e a sua passagem por Belo Horizonte foi uma experiência muito rica, além de contribuir muito decisivamente nos trabalhos e pastorais e tenho certeza que, também aqui, oferecerá muito a Montes Claros e o Norte de Minas”, comentou.
Dom João Justino comentou sobre o Evangelho de Lucas, deste sábado que diz: ‘muito mais felizes são aqueles que ouve a palavra de Deus e a põem em prática’; tal qual o Evangelho João, do 4. sábado da Páscoa ‘Se vós me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai’. “A experiência de escutar Jesus e acolher a sua palavra é que fortalece a comunhão com o Pai. Na Assembleia Geral dos Bispos, na semana passada foi um tempo bastante intenso de escuta da Palavra de Deus e discernimento à luz da palavra na ação pastoral”, revelou dom João.
O arcebispo coadjutor comentou ainda sobre a fala de dom Walmor durante a Missa de envio, na quarta-feira (10), em Belo Horizonte, em que o arcebispo de Belo Horizonte mencionou que dom João já conhece as Minas e, agora, terá a missão de desbravar as Gerais. “Essa é uma graça muito especial que Deus me concede. Vivi minha vida na Zona da Mata e em Belo Horizonte e agora venho para as Gerais, isso vai completar em mim a mineiridade e conhecer outra realidade do Estado de Minas Gerais que tem uma história rica, uma cultura própria e um bioma diferente – o cerrado. Certamente todos as implicações que tem na vida das pessoas e das comunidades, por isso estou aqui aberto para conhecer essa realidade”, disse

Vivenciar o sentido da Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como tema Fraternidade e os Biomas Brasileiros em Defesa da Vida, foi o propósito de uma Manhã de Formação realizada nesta sexta-feira (5), no parque estadual da Lapa Grande, em Montes Claros. O evento, que foi realizado pela Pastoral da Educação, Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso (PEEDIR) da Arquidiocese de Montes Claros, teve a participação de professores de Geografia, Ciências e Ensino Religioso, bem como supervisores e diretores de escolas pública e particular da cidade.

De acordo com o assessor arquidiocesano da PEEDIR, padre Valdomiro Soares Machado (Frei Valdo), a Pastoral tem como primícia desenvolver um intenso trabalho com os professores e esta formação que acontece hoje é parte integrante dessa ação. “O parque estadual da Lapa Grande é o local da cidade mais apropriado para que pudéssemos refletir sobre o tema da Campanha da Fraternidade e, assim, ouvir este ‘grito’ que a natureza dá em prol dos biomas brasileiros”, destaca Frei Valdo.

O objetivo do evento é a formação de uma consciência crítica dos professores para despertar, através de discussões em sala de aula, nas crianças e adolescentes uma formação para a preservação dos biomas, principalmente o cerrado. “A CF deste ano chama a atenção para esse envolvimento de todos – crianças, jovens e adultos, católicos, evangélicos e ateus para que possamos cuidar da casa comum e, assim, possibilitar uma melhor qualidade de vida para toda a sociedade”, ponderou.

“Este evento surgiu durante o lançamento da Campanha da Fraternidade na arquidiocese de Montes Claros e a Pastoral da Educação viu a necessidade dessa formação para aquele que formam a juventude, os professores”, comenta a coordenadora da Pastoral da Educação da Paróquia Catedral, Odete Martins de Oliveira Campos.

IMG-20170505-WA0047 IMG-20170505-WA0045 IMG-20170505-WA0043 IMG-20170505-WA0042

O Programa de Saúde da Família (PSF) – Centro, em parceria com a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, realizou nesta sexta-feira (28), no Centro Paroquial João Paulo II, o 1º Encontro do Grupo Antitabagismo do Programa Nacional de Controle ao Tabagismo do Ministério da Saúde. O Programa prevê a realizado de quatro encontros-base com atividades mensal.

De acordo com a médica Eloange Alkmim, coordenadora do Grupo, o tabagismo é uma doença com características físicas e também psíquicas provocado pela nicotina, uma substância viciante. “Sozinha é mais difícil de uma pessoa parar de fumar, com o programa há todo um acompanhamento e com reuniões em que os participantes trocam experiências entre si. Além disso, somente as pessoas que são acompanhadas pelo grupo que conseguem os medicamentos gratuitos fornecidos pelo Ministério da Saúde”, explicou Eloange.

Durante o encontro, a médica falou sobre os métodos para parar de fumar: gradual com redução (diminuição da quantidade de cigarros ao longo da semana); gradual com adiamento (atraso diário em 2 horas para o primeiro cigarro) e; abrupta (parada imediata). “Em cada um destes métodos depende primeiro da pessoa querer parar de fumar e depois a escolha do tratamento que está diretamente relacionado com o grau  de dependência”, adverte.

No final do encontro foi feito o cadastro dos participantes e coleta de dados para o diagnóstico individual pela médica e pela enfermeira Camila Eleutério. Participaram ainda, da ação, os agentes de saúde Alex Douglas, Maria Aparecida e Cristiane Rodrigues.

Caríssimo Padre Arlindo, Deus nos chama. E a sua voz se faz ouvir pelos acontecimentos mais simples da vida: a palavra de alguém, o incentivo dos pais, no seu caso, o Santo Carisma dos Missionários da Sagrada Família, o exemplo de uma pessoa que nos comoveu, a necessidade de alguém, o sofrimento dos pobres, um desejo profundo de ser isso ou aquilo. Deus nos chama de muitos modos. É preciso que estejamos atentos à Sua voz. É preciso, também,  que façamos calar as vozes do mundo que gritam tentando nos afastar de Deus.

Você escolheu viver gastando a sua vida como uma vela que se consome ao iluminar. Você continua se consumindo, fazendo-se luz na caminhada do povo de Deus rumo à Terra Prometida. É isso que dá sentido a sua vida e foi para isso que nasceste.

A vocação tem, assim, esse caráter de doação, de entrega, de missão, pois não há outra forma de realização da própria vida senão como oferta de si para os outros: “Se o grão de trigo não morrer” a vida não poderá continuar a brotar.

Hoje, queremos beijar as suas santas mãos que tocam Jesus na Eucaristia diariamente e nos dá o Seu Corpo como alimento de nossas almas. Hoje, queremos louvar a Deus pela sua existência, para nós tão importante. Que conserve sempre puros os seus lábios tintos pelo Sangue Preciosíssimo de Jesus!

Parabéns!

Paróquia Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida

IMG-20170420-WA0022

Galeria de Fotos