Pastorais

0 789

O que é?

TOV (Oficinas de Oração e Vida) é um serviço para aprender e se aprofundar na arte de orar. Ensina a relacionar-se com Deus. Aprende-se orando, experimentando, como em uma oficina em que se trabalha aprendendo e se aprende trabalhando.

São momentos de meditação da Palavra, oração intensiva, reflexão comunitária, exercícios de silenciamento. O oficinista tem a oportunidade de ir superando passo a passo o mundo interior de angústias, ansiedades, medos e tristezas.

Na oficina aprende-se, com o tempo, a deixar de ser “eu mesmo” nos traços negativos para assumir os traços positivos de Jesus: paciência, fortaleza, mansidão, amor, preocupar-se com os demais, perguntando sempre, em cada momento: “o que faria Jesus em meu lugar?”

Fundador

Seu fundador, Frei Ignácio Larrañaga, frade capuchinho, e os “guias” (nome que se dá à pessoa que aplica uma oficina) sonham em transformar as Oficinas em viveiro de vocações apostólicas e em instrumento de vitalização eclesial.

História

As Oficinas de Oração e Vida iniciaram  em 1984 e foram reconhecidas pelo Vaticano como Associação Privada Internacional de Fiéis de Direito Pontifício, em 2002. Em Montes Claros começaram em 1987. Desde então, são aplicadas oficinas em seminários, escolas, instituições de recuperação de  alcoólatras e drogados, penitenciária, igrejas, residências e outros locais.

Atualmente, TOV vem se expandindo no norte de Minas: Janaúba, Pirapora, Ubaí, Francisco Sá, São Francisco. E estão sendo implantadas em Salinas, Grão Mogol e São João da Ponte oficinas para adultos, jovens, crianças e curso para casais.

A Oficina colabora não só com a Igreja, mas também com a sociedade. Isso porque contribui para a unidade e o fortalecimento do indivíduo e da família. Tem, pois, uma dimensão evangélica e humanitária.

0 1607

“Em cada Diocese, vasta ou pequena, rica ou pobre, dotada ou não de clero, o Bispo estará ‘fazendo um investimento’ altamente compensador, estará construindo, a médio prazo, a sua Igreja particular, à medida que der máximo apoio a uma pastoral.” (João Paulo II, julho de 1990, aos Bispos brasileiros em Roma)

O que é?

A palavra “pastoral” está ligada a “Pastor”, aquele que zela e cuida. A Pastoral Familiar atua na formação da pessoa humana e da instituição familiar. A Pastoral Familiar é ação que se realiza na Igreja e com a Igreja, de forma organizada e planejada através de agentes específicos, com metodologia própria, tendo como objetivo a evangelização das famílias.
A Pastoral Familiar se destina a toda pessoa, independente de sua situação familiar. Tem o propósito de promover a inclusão e resgatar os valores e dignidade de cada pessoa. Todos estão incluídos.

Como começou

No Concílio Vaticano II, começou-se a delinear na Igreja uma proposta inspirada nos esforços para a evangelização da família. Desde o início de seu pontificado, o Papa João Paulo II tem dedicado atenção especial à Família.
Em 1981, no 4º Sínodo dos Bispos, o Sínodo das Famílias, foi promulgada a exortação apostólica “Familiaris Consortio” – A Missão da Família no Mundo de Hoje.
Nesses anos foram realizadas muitas ações pela Igreja da América Latina. Mas, percebe-se, que a missão da Pastoral Familiar é muito maior, urgente e indispensável.

Missão

Nossa missão é evangelização e promoção humana e social da pessoa e da família.
É imprescindível realizar articulação, dinamização e orientação de ações em favor da família e da vida humana em todas as suas etapas, desde a concepção até a morte natural, e promover seu acolhimento, promoção e defesa contra qualquer forma de violência.
A Pastoral Familiar possui quatro metas fundamentais e imutáveis:

– Viver e crescer na fé e aperfeiçoar-se como comunidade;

– Ser santuário da vida;

– Ser célula primeira e vital na sociedade;

– Ser Igreja doméstica e missionária.

Objetivo

A Pastoral Familiar tem como objetivo uma adequada e exaustiva evangelização da família para que, educada no amor, ela possa ser transmissora da fé, formadora da personalidade, promotora do desenvolvimento e do senso comunitário. A Pastoral Familiar atua de maneira orgânica, trabalha em sintonia com outras pastorais, movimentos e serviços familiares, presta ajuda a todos e sabe se aproveitar das oportunidades oferecidas ao seu campo específico de ação pastoral.

Formação de Agentes
Não se pode atuar no ministério de ajuda e promoção das famílias e da pessoa humana sem estar preparado. Na realidade de hoje, diante das diversidades de situações vivenciadas por nossas famílias, é imprescindível um investimento bem orientado no estudo e na reflexão para uma evangelização eficaz e apta a servir o desenvolvimento da família brasileira.

Para capacitação de agentes, a Pastoral Familiar criou o Instituto Nacional da Família e da Pastoral Familiar – INAPAF, uma escola destinada a promover a formação de agentes para Pastoral Familiar e ajudar na vivência dos valores que edificam a pessoa e a família para o bem da sociedade.

Como está Organizada

A Comissão Episcopal Pastoral para Vida e a Família da CNBB é responsável pela estruturação geral da Pastoral Familiar no Brasil. Com o intuito de auxiliar no alcance dos objetivos propostos, foi instituída a Comissão Nacional da Pastoral Familiar – CNPF composta pelo Bispo Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, pela Acessoria Nacional, pelo Casal Coordenador Nacional, pelos Bispos e Casais representantes da Pastoral Familiar nos 17 Regionais da CNBB e pelos Representantes Nacionais dos principais Movimentos, Institutos e Serviços Familiares.

Baseada na realidade brasileira e na experiência eclesial, a Comissão Episcopal Pastoral para Vida e a Família propõe a seguinte organização em nível diocesano e paroquial:

Setor Pré-matrimonial: atua na preparação para o matrimônio. Tem o desafio de promover a educação continuada para o casamento.

Setor Pós-matrimonial: promove a formação constante para a vida conjugal, familiar e sócio-comunitária.
Setor Casos Especiais: desenvolve serviços de ajuda e promoção das pessoas e das famílias em situações difícieis ou delicadas.

0 780

O que é?

O Setor Pré-Matrimonial está inserido na Pastoral Familiar, com o objetivo de evangelizar famílias na Catequese, na Crisma e na Escola. Trabalha a Preparação Remota, Preparação Próxima e Preparação Imediata. O foco principal é a Preparação Remota.

Preparação Remota

EAC (Encontro de Adolescentes com Cristo): é um movimento de evangelização de adolescentes da paróquia na faixa etária de 12 anos e meio á 15 anos, com finalidade de despertar o adolescente para que viva de maneira cristã, tornando-os membros ativos e importante no convívio familiar e participar com responsabilidade e compromisso na sua paróquia e comunidade.

MAC ( Movimento de Amizade Cristã): é um movimento apostólico que atende jovens e solteiros sem filhos, na faixa etária de 15 á 20 anos, com finalidade de despertar lideranças cristãs na comunidade para assumir tarefas, iniciar-se nos trabalhos de pastoral e serem instrumentos de Deus na sociedade.

JOTA ( Jovens em Oração, Trabalho e Amizade): é um movimento com jovens acima de 20 anos, sua finalidade é de resgatar jovens para um maior crescimento espiritual, contribuindo na evangelização da comunidade, participando de projetos sociais como o ¨Projeto Capelinha¨ (Centro Social Maria de Nazaré) no bairro São Geraldo, ¨Projeto Hemominas¨.

ENFIR (Encontro de Namorados Firmes): é um encontro para namorados firmes que tenham pelo menos 01(hum) ano de namoro e não sejam adolescentes.

Preparação Próxima

Trabalha com os noivos na preparação para o matrimônio.

Preparação Imediata

Preparação bem próxima do casamento, inclui entrevista com Sacerdote, preparativos e conscientização sobre o Sacramento do matrimônio. Só se recebe o nome Cristão quando assumimos verdadeiramente o nosso Batismo, a nossa missão.

Objetivo

Tem como objetivo despertar os casais de namorados para viver o namoro de forma cristã, conscientiza-los das responsabilidades, leva-los a conhecer o valor do Sacramento do Matrimônio.

0 2155
Segundo João Paulo II, a juventude não é apenas um período de vida, mas uma qualidade de alma que se caracteriza precisamente por um idealismo que se abre para o amanhã. Foi nessa perspectiva que um grupo de jovens de nome MAC (Movimento de Amizade Cristã) da Catedral decidiu revigorar e tornar frutífero este momento da vida que é a juventude.
O ano 2000 foi o escolhido e a cidade de Guanambi/BA a contemplada para um grande acontecimento. Os jovens do MAC decidiram fazer um grande encontro de jovens para levar a paz, o amor, a palavra de Deus e alegria contagiante. Assim ocorreu o 1º encontro do MAC dos jovens de Guanambi.
Depois da realização deste encontro, infelizmente alguns jovens já se encontravam com idade superior ao que era permitido, pois já haviam completado 18 anos e eis que era hora de partir, procurando encontrar novos horizontes. Alguns prosseguiram em outros grupos como o JUMAC, existente na Paróquia da Matriz, outros permaneceram no MAC. Mas aqueles que optaram por sair tiveram dúvida sobre o que fazer de agora pra frente, como continuar a levar a paz, o amor e alegria que vem Deus?
Eis que, no meio da busca, o encontro. Estes jovens não pararam no meio do caminho e resolveram formar um novo grupo para dar continuidade à caminhada cristã. Lembram-se daqueles jovens que fizeram o encontro do JUMAC? Retornaram à casa, ou seja, à Catedral, e, juntamente com os jovens que resolveram por formar um outro grupo, realizaram um grande retiro. O objetivo era atrair os jovens dispersos e ainda darem continuidade ao trabalho na comunidade, não deixando que a juventude acabasse. E foi justamente nesse retiro em um momento de reflexão que aconteceu a criação de um novo grupo o que hoje é conhecido por todos, o JOTA, nome escolhido dentre muitos sugeridos. A sigla significa Jovens em Oração, Trabalho e Amizade. Para símbolo foi escolhida uma cruz, que merece destaque na história e devido a costume que o MAC tinha na época de se reunir debaixo de uma goiabeira antes dos encontros, ou mesmo depois, para conversar, trocar ideias e fazer amizades. Esta goiabeira virou um símbolo de amizade e, por isso, alguns anos antes deste retiro, quando a goiabeira foi cortada para que se fizesse a construção de um muro, um destes jovens pegou um galho cortado e guardou como lembrança das eternas amizades.
Depois desse retiro, estes jovens começaram a se preparar para a realização do 1º encontro do JOTA, com a ajuda especial e apoio de Monsenhor Alencar, na época pároco da Catedral. E foi no dia 1º de julho de 2001, com a ajuda do grupo JUMAC, que ocorreu o 1º Pré-Viver do JOTA e, nos dias 7 e 8 de julho de 2001, o 1º encontro do grupo de jovens JOTA da Catedral.
Depois do encontro, o JOTA começou a atuar ativamente em todos os eventos realizados na paróquia e também ficou responsável pela coordenação e organização das missas dominicais das 18h30min.
O grupo já realizou vários trabalhos sociais na Paróquia, em creches, abrigos, asilos e, atualmente, na Fazenda da Solidariedade, um centro de recuperação de dependentes químicos fundado pelo Pároco da Catedral, Padre Valdomiro Soares Machado (Frei Valdo).

0 1881

Como surgiu

Efficacy and safety of tadalafil for the treating erection dysfunction: outcomes of integrated analyses canadian pharmacy cialis. I could& t get my liver transplant without getting the pressure down tadalafil buy online Viagra is employed to treat the next conditions: , black cialis.

O Encontro de Casais com Cristo é um serviço da Igreja Católica, da Pastoral Familiar, em favor das famílias. Teve origem em 1970, na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, na Vila Pompeia, em São Paulo-SP, por iniciativa do Pe. Alfonso Pastore. “Começou porque Deus quis, e a presença e a atividade do ECC no Brasil são a prova da ação de Deus na humanidade” (Pe. Alfonso Pastore). 

Definição

O Encontro de Casais com Cristo – ECC é um serviço da Igreja Católica, aprovado pela CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, para evangelizar a família, primeiro núcleo da inculturação e da evangelização – “Igreja Doméstica” e “santuário da vida” –  para despertar os casais para as pastorais paroquiais, devidamente integrado na pastoral de conjunto da Arquidiocese, constituindo-se num fortíssimo instrumento de Pastoral Familiar. “O Encontro de Casais com Cristo não é um movimento”. Não visa prender a si os casais, nem os casais devem querer ficar presos ao ECC. 

O ECC apresenta-se como um SERVIÇO DA IGREJA ÀS FAMÍLIAS DA PARÓQUIA. 

O serviço de Pastoral Familiar do ECC é essencialmente paroquial. Esta é sua característica fundamental. A Paróquia vai atender a seus casais dentro de sua realidade concreta e de suas possibilidades, promovendo a evangelização e o engajamento dos casais nas pastorais paroquiais. O ECC quer ser um meio, uma etapa, uma passagem, uma ponte. A meta não é o ECC. A meta é o Reino de Deus em todas as paróquias. O ECC é um serviço às famílias. É feito por casais para casais. 

O ECC é ainda um serviço que procura apresentar aos casais uma visão clara e vivencial do evangelho de Jesus Cristo e da Igreja atuais, por meio de seus documentos e encíclicas, e de sua Doutrina Social. 

A originalidade do ECC em relação a outros movimentos e serviços da Igreja às famílias está em que ele, sob a orientação dos conselhos Nacional, Regional e (Arqui)Diocesano, é organizado e realizado em nível Paroquial. “Esta é a sua característica vital. Quem lhe retirar essa característica arranca-lhe a alma. É um serviço familiar e paroquial” (Pe. Alfonso Pastore, 1983). 

Etapas do ECC

O Encontro de Casais com Cristo foi idealizado para ser desenvolvido em três etapas distintas, indispensáveis e inter-relacionadas entre si, cada uma com características e finalidades próprias. Uma etapa prepara a outra e deve ser observada a partir de um crescimento de seus integrantes e de sua comunidade.

A 1ª Etapa: o “Encontro”, evangelizador e missionário, é o despertar, é o chamamento aos abandonados.

A 2ª Etapa: o “Reencontro”, catequético, é o aprofundamento, uma proposta de compromisso, usa a reflexão e é para os engajados e para os que desejam se engajar.

A 3ª Etapa: o “Compromisso”, transformador, é para os que buscam mudar as estruturas injustas de nossa sociedade.

0 515

A escola não é só um espaço de aprendizado conteudista mas, acima de tudo, ensina valores primordiais ao ser humano.
Como educadores, baseamo-nos na premissa de que se faz necessário dar possibilidades aos alunos para resgate de valores éticos, morais e religiosos.
Realizamos, assim, atividades que incitem fortaleçam a cultura da paz, da justiça, do amor ao próximo e da cidadania.

Na Paróquia

Desenvolve atividades variadas de reflexão e projetos, de acordo com as necessidades surgidas.

Trabalha os tema e lema da Campanha da Fraternidade.

Exibe filmes e vídeos, debates e palestras em sala de aula, numa parceria com a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.
Apoia a Pastoral da Educação, colocando a escola como foco.

Se você deseja integrar esta pastoral, entre em contato conosco pelo telefone: (38)3221-5028.

0 514

“… Mas Jesus, aproximando-se, disse-lhes: ‘toda autoridade me foi dada no céu e na Terra. Ide, pois, ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.” (Mt 28,16-20)

Objetivo

O objetivo da preparação de pais e padrinhos é conhecer ou aprofundar os valores evangélicos, renovar o compromisso com a Igreja Corpo de Cristo e conscientizá-los da responsabilidade de educar os filhos e afilhados na fé para que, por meio do exemplo, produzam bons frutos (Jo 15,4).

Na Paróquia

Batismo é o compromisso de seguir Jesus. Batiza-se para formar comunidade. Alguns critérios devem ser observados na etapa preparatória de padrinhos e madrinhas:

1 – Ter, no mínimo, 16 anos;

2 – Ter vida comunitária;

3 – Testemunho de fé que ajude o afilhado (a) no amadurecimento da vida cristã.

Os paroquianos interessados no Sacramento do Batismo devem procurar a Secretaria Paroquial (telefone – 3221-5028) com um mínimo de três meses de antecedência e deixar nome, endereço e telefone.

A Pastoral do Batismo manterá contato, com o objetivo de marcar dia e horário para uma visita à casa do interessado. Na ocasião serão repassadas as informações necessárias sobre os Encontros de Preparação e esclarecidas eventuais dúvidas.

0 1546

O que é?

É uma Pastoral, na prática em comunidade, onde manifestamos nosso compromisso de ajudar a manter os serviços necessários ao Projeto de Deus; envolvendo-nos nos objetivos e necessidades comuns na Igreja, e, ainda, ajuda as pessoas a serem melhores e mais unidas. É um projeto que SALVA!  

Nesta Pastoral fazemos nossa oferta espontânea, livre, alegre, generosa e familiar, com consciência de que somos batizados e, por isso, levamos muito a sério, é nossa conversão. Não é um imposto uma taxa ou um tributo.  

Na verdade, trata-se de um desafio de fé que nos liga a DEUS através da sua Palavra, das suas bênçãos. Também nos faz responsáveis para com a Evangelização, por meio da nossa contribuição material, ou seja, devolvemos 10% de todo nosso recebimento financeiro para esta obra.  

Em Malaquias – capítulo 3, versículo 10 –, Deus disse: “PAGAI integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa. Fazei a experiência, diz o Senhor dos exércitos, e vereis se não vos abro os reservatórios do céu e se não derramo minha bênção sobre vós muito além do necessário”. 

Objetivo:

Esta Pastoral tem o objetivo de conscientizar a comunidade no sentido religioso e espiritual do DÍZIMO, não como oferta, doação, taxa ou pagamento, mas um sentido de amor, gratidão e reconhecimento a DEUS por tudo o que somos, temos e, principalmente, no reconhecimento de que somos criaturas de Deus. 

Uma comunidade (DIZIMISTA) é formada por pessoal que se conhecem, se respeitam e se sentem responsáveis pela vida comunitária.

Na Paróquia: 

Com o Padre, um coordenador e 15 agentes: 

– Fazemos um trabalho de conscientização nas Missas do 2º sábado e 2º domingo do mês. 

– Colocamos plantonistas agentes nas Missas do 3º sábado e 3º domingo, para fazer o cadastramento dos novos dizimistas. Os interessados preenchem uma ficha com seus dados (nome, endereço, telefone, etc, etc, que serve de contato entre a Paróquia e o dizimista).

– Fazemos a coleta do recebimento do Dízimo semanalmente. Registramos no computador, devolvemos o envelope com o registro do recebido para retorno no mês seguinte.

Dos 100% arrecadado, repassam-se 20% para a Arquidiocese de Montes Claros. Os valores restantes são aplicados pelo caixa central da Paróquia, administrado pelo pároco. Todos os meses, o pároco faz a prestação de contas no mural da Catedral Metropolitana, na Capela São José e no Santuário Bom Jesus.

Dimensões:

– Religiosa – O dízimo deve suprir, com recursos, todas as necessidades direta ou indiretamente ligadas ao culto e aos seus ministros. Gastos com templo – construção e manutenção, salário do padre e dos funcionários, encargos, energia elétrica, água, telefone, impressos, paramentos litúrgicos, velas, vinho, hóstias, equipamentos de sim e audiovisuais, etc.

– Social – O dízimo supre as necessidades dos irmãos mais necessitados da comunidade, atendidos pelas pastorais sociais. As nossas pastorais cuidam da promoção do ser humano e, neste trabalho de misericórdia e compaixão, resgatam a dignidade dos irmãos assistidos.

– Missionária – O dízimo deve sustentar financeiramente as ações de evangelização da comunidade, exercidas dentro e fora do território da paróquia. Nesse mesmo compromisso de fidelidade a Deus, somos convocados a proclamar o Evangelho a todos os povos.

0 510

O que é? 

A Pastoral da Saúde é uma das Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. É um sociedade cífico-religiosa, sem fins lucrativos, instituída desde 9 de maio de 1986. 

É a ação evangelizadora do povo de Deus comprometido em promover, preservar, defender, cuidar e celebrar a vida, tornado presente no mundo da saúde a ação libertadora de Jesus, que disse: “Eu vim para todos tenham vida e a tenham em abundância.” (Jô 10,10).  

Sua atuação se dá em três dimensões: 

1-    Solidária – Ser presença samariatana. 

2-    Comunitária – Ser agente de transformação. 

3-    Político-institucional – Consciência da missão social.

Objetivo geral

Evangelizar com renovado ardor missionário o mundo da saúde, à luz da opção preferencial pelos pobres e enfermos, participando da construção de uma sociedade justa e solidária a serviço da vida.

Na Paróquia

A equipe da Pastoral da Saúde da Capela São José – Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida – iniciou suas atividades em maio de 1999.

São realizadas reuniões mensais para planejamento e avaliação das atividades, tais como:

– Visitas domiciliares e hospitalares;

– Ministrar comunhão aos doentes;

– Planjamento da nossa Capela e Paróquia no que diz respeito a missas, reuniões, cursos, novenas, comemorações e campanhas, integrando as nossas ações com as demais pastorais.

– Participar das atividades a nível de Coordenação Arquidiocesana da Pastoral da Saúde, como encontros mensais, treinamentos, oficinas, palestras e confraternizações, entre outras.

As reuniões mensais ocorrem toda 1ª quarta-feira do mês, às 16 horas, na Capela São José. Na ocasião há o repasse dos assuntos tratados no Conselho Paroquial de Pastoral, e na reunião da Equipe Arquidiocesana de Pastoral da Saúde. Há também planejamento de atividades e ações integradas.

Na 2ª quarta-feira do mês é realizada Missa por intenção dos enfermos, às 18h15min, na Capela São José.

Além da participação da comunidade, levamos algumas pessoas deficientes ou impossibilitadas de andar, para assistir à Missa e, depois, rotornamos com elas até as respectivas casas.

A nossa equipe convida a comunidade paroquial a integrar e somar conosco nesta missão de assistência à pessoa enferma, pois é uma atividade gratificante, que nos conforta também com uma bênção de Deus.

Se você deseja integrar esta pastoral, entre em contato conosco pelo telefone: (38)3221-5028.

0 492

O que é?


É um organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que tem como objetivo trabalhar para que todas as crianças “tenham vida e a tenham em abundância”.

Para isso é preciso que:

– Sejam combatidas as doenças de fácil prevenção entre as crianças;
– Haja acompanhamento das famílias para que estejam preparadas para assumir com a responsabilidade a missão de cuidar da Saúde, Nutrição, Educação e Fé das crianças, desde o ventre materno;
– Haja conhecimento e prática das Ações Básicas de Saúde, Nutrição e Educação, essenciais ao desenvolvimento da vida;
– Haja o resgate de valores culturais de solidariedade entre as famílias, da co-responsabilidade social, cidadania e Palavra de Deus;
– Propicie a organização comunitária para a vivência cotidiana da fé, integrada à vida da Celebração da Palavra de Deus;
– Crie condições para que a mulher se torne agente de sua própria promoção, de sua família e comunidade;
– Desperte e capacite lideranças comunitárias para maior integração à Ação Missionária da Pastoral da Criança.

Cronograma:

– Coordenação Nacional
– Coordenação Estadual
– Coordenação (Arqui)Diocesana
– Coordenação de Área
– Coordenação Paroquial
– Coordenação de Comunidade

Na Paróquia:

– Coordenadora Paroquial
– Coordenadora de Comunidade
– 11 líderes, sendo que 8 líderes que cuidam das visitas e assistência às crianças e a suas famílias e 3 líderes que compõem a equipe de apoio.

Tipo de trabalho desenvolvido:

– Visitas e assistência às crianças e famílias cadastradas;
– Manter vigilância nutricional;
– Evangelização.

Reuniões:

3ª sexta-feira de cada mês: sempre das 18h às 19h, reunião com todos os líderes para fazer repasses das reuniões do Conselho Paroquial, por parte das coordenadoras paroquiais e demais notícias da Paróquia e da própria Pastoral da Criança. Há também a elaboração de programação para a Celebração da Vida.
Último domingo de cada mês: às 15 horas, há a Celebração da Vida, quando ocorre oração e partilha de leituras evangélicas, palestras de conscientização para os pais, brincadeiras e distribuição de lanche com a multimistura. Após a Celebração da Vida, os líderes se reúnem novamente para preencher a Folha de Acompanhamento e Avaliação Mensal das Ações Básicas de Saúde e Educação, enviada pela equipe arquidiocesana da Pastoral da Criança.

Projetos:

– Programa de Combate à Cárie em Gêmeos
– Projeto de Geração de Renda

Recursos financeiros:

– Pastoral da Criança
– Paróquia
– Doações da comunidade e dos líderes

Se você deseja integrar esta pastoral, entre em contato conosco pelo telefone: (38)3221-5028.