Como tratar o esgotamento no local de trabalho e voltar a se...

Como tratar o esgotamento no local de trabalho e voltar a se sentir bem

0 236

Descubra o que realmente está acontecendo atrás de seus sintomas e então você pode agir

A chave para tratar a síndrome de burnout (esgotamento no trabalho) efetivamente é detectá-la em seus estágios iniciais. Quanto mais cedo você identificar e lidar com o problema, mais cedo você poderá mantê-lo sob controle e resolvê-lo.

A iniciativa de tratar a síndrome pode vir do próprio trabalhador ou da empresa ou instituição onde ele trabalha. Consequentemente, é importante que haja uma boa comunicação entre as duas partes.

Não devemos esquecer que a maneira mais eficaz de tratar esta síndrome é eliminar suas causas e não apenas tratar os sintomas negativos que decorrem dessas causas.

A maioria das causas de esgotamento está relacionada a uma organização interna pobre por parte da empresa – principalmente, formas impróprias de lidar com funcionários. Isso significa problemas materiais (trabalho excessivo, desorganização etc.) e de forma (a maneira de se comunicar com pessoas na organização). 

Vejamos a seguir algumas formas eficazes de tratar os sintomas externos de esgotamento.

Elementos de tratamento

Em primeiro lugar, as técnicas de relaxamento – como meditações guiadas ou ouvir música relaxante – foram amplamente demonstradas como efetivas para reduzir a ansiedade e melhorar a forma como os trabalhadores enfrentam síndrome de burnout. Na verdade, esse tipo de prática ajudará o trabalhador a enfrentar os problemas de uma forma muito mais positiva e produtiva.

Em segundo lugar, não devemos esquecer o lado físico do problema. O estresse e o desgaste tendem a criar tensão muscular em certas áreas do corpo, como os ombros e o pescoço, o que, no longo prazo, pode levar a contrações musculares, hérnia de disco e outros tipos de lesões, o que agrava a situação.

Consequentemente, é importante fazer alongamentos adequados e exercícios antiestresse como parte da rotina diária de cada um (e, mesmo assim, como parte da rotina do local de trabalho, quando possível).

Em terceiro lugar, a prática habitual de algum esporte (desde que seja adaptada à condição física do trabalhador) tem demonstrado reduzir significativamente os efeitos do estresse sobre o organismo de uma pessoa. Os esportes nos mantêm ativos e melhoram a saúde do coração, músculos e ossos, além de nos ajudar a desconectar dos nossos problemas enquanto estamos envolvidos no exercício.

Em quarto lugar, conhecer e usar estratégias assertivas – assertividade é a habilidade social de afirmar-se segundo os próprios direitos e expressar pensamentos, sentimentos e crenças de maneira direta, clara, honesta e apropriada ao contexto, de modo a não violar o direito das outras pessoas – pode ser uma excelente maneira de combater e prevenir o esgotamento.

A assertividade é um comportamento intermediário entre passividade e agressão (características típicas das pessoas que sofrem de burnout), focada no gerenciamento adequado das emoções e na comunicação adequada com os outros.

Getty Images
Alguns exemplos de estratégias assertivas incluem:
  • 1.

    Tratar a si mesmo e aos outros com respeito

  • 2.

    Ser educado, mas firme

  • 3.

    Ser direto e honesto com os outros

  • 4.

    Saber expressar respeitosamente aos outros o que nos preocupa ou nos desagrada

  • 5.

    Saber falar e ouvir sem perder a paciência

  • 6.

    Ser capaz de controlar as emoções

  • 7.

    Ver as críticas dos outros como uma oportunidade para melhorar

Estilo de vida

Além disso, não podemos esquecer os enormes benefícios que a ajuda profissional pode nos fornecer. A psicoterapia, seja individual ou em grupo, pode ajudar os trabalhadores a desenvolver mecanismos eficazes para lidar com situações que causam estresse e ansiedade.

Por último, viver um estilo de vida saudável pode ajudar a combater o estresse e síndrome de burnout; isso inclui, entre outras coisas, medidas como evitar o tabaco e o álcool e dormir o suficiente.

Fonte: https://pt.aleteia.org

SIMILAR ARTICLES

NO COMMENTS

Leave a Reply

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.