“Esperança se funda na capacidade de mudar o curso da história”, afirma...

“Esperança se funda na capacidade de mudar o curso da história”, afirma padre Xavier

0 228

Comunicar esperança e confiança no nosso tempo é o tema da mensagem do papa Francisco para o 51° Dia Mundial das Comunicações Sociais (DMCS), celebrado neste domingo da Ascensão do Senhor, dia 28 de maio. Motivado a analisar pontos-chave do texto preparado para este momento, o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Antônio Xavier, afirma que a esperança não se funda no mero otimismo, mas “na capacidade que temos de mudar o curso da história e juntos podemos com muito mais força”.

Neste contexto complexo e de crises por que passa o Brasil, o papel dos comunicadores é “saber equilibrar as notícias, deixando transparecer que o momento é difícil, mas que podemos mudar nosso cenário”, observa padre Xavier.

A mensagem do papa é dirigida aos profissionais de comunicação, embora o tema de reflexão seja apropriado a todas as pessoas. De acordo com o assessor da CNBB, a preocupação do papa é de dar fundamento e métodos mais humanos, baseados no Evangelho, ao jeito de comunicar no tempo atual. “Por isso fala de esperança e de humanidade em sua mensagem indicando que o ‘receptor’ de toda comunicação é antes de tudo um ser humano, muito mais que um mero consumidor de notícias”, observou.

Com a proposta de comunicar esperança e valorizar as boas notícias, o papa pede que os profissionais da comunicação moldem sua conduta de trabalho “para romper o círculo vicioso da angústia e deter a espiral do medo”. Mas ele também alerta para não “promover uma desinformação na qual seria ignorado o drama do sofrimento, nem cair em um otimismo ingênuo que não se deixa tocar pelo escândalo do mal”. Para o padre Xavier, a partir das indicações de Francisco, o caminho é promover uma comunicação integral, “comunicar também as belezas e coisas boas que surgem em nosso tempo: boas descobertas, a caridade demonstrada em atos, auxílio aos necessitados, matrimônios felizes, altruísmo, etc.”.

Um exemplo partilhado por Xavier é a realidade do tráfico de drogas, na qual se observa o efeito avassalador no mundo, mas paralelamente cresce a solidariedade de muitos empenhados na recuperação de viciados, sobretudo de jovens. “O mundo não está repleto somente de problemas, temos muitas belezas de solidariedade, de alegria, de vitória para ser comunicada. Por fim lembro um pensamento do próprio papa: para que os profissionais de comunicação evitem a espetacularização de notícias”, pontua.

Celebrar a ascensão
O DMCS é celebrado na mesma data da Solenidade da Ascensão do Senhor, mas não pode, de acordo com o padre, ofuscar a data litúrgica, mas ser integrada. Lembrando a motivação do papa, Xavier sinaliza que “a ascensão nos faz perceber que o Senhor aparentemente se afasta de nós, mas que na realidade são os horizontes da esperança que se alargam. Em outras palavras, existem duas formas de se contemplar o mesmo evento”. No contexto da Pastoral da Comunicação (Pascom), o assessor fala dos encontros com os profissionais de comunicação que acontecem nesta data. Geralmente são promovidos cafés da manhã, momentos para convivência e reflexão sobre a mensagem do papa. “Este momento é sucedido pela celebração eucarística onde, à luz da Ascensão do Senhor, se pode meditar o nosso ser comunicador”, salienta. (Fonte: CNBB)

COMENTÁRIOS

Responder

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.