O Advento no ciclo do tempo – Aline Santos

O Advento no ciclo do tempo – Aline Santos

“A santa mãe Igreja considera seu dever celebrar, em determinados dias do ano, a memória sagrada da obra de salvação do seu divino Esposo. Em cada semana, no dia a que chamou domingo, celebra a da Ressurreição do Senhor, como a celebra também uma vez no ano na Páscoa, a maior das solenidades, unida à memória da sua Paixão.

Distribui todo o mistério de Cristo pelo correr do ano, da Encarnação e Nascimento à Ascensão, ao Pentecostes, à expectativa da feliz esperança e da vinda do Senhor.

Com esta recordação dos mistérios da Redenção, a Igreja oferece aos fiéis as riquezas das obras e merecimentos do seu Senhor, a ponto de os tornar como que presentes a todo o tempo, para que os fiéis, em contato com eles, se encham de graça.”

CONSTITUIÇÃO CONCILIAR Sacrosanctum Concilium sobre a Sagrada liturgia, 102.

O tempo do Advento possui a característica de preparação para as Solenidades do Natal, celebrando a encarnação do Filho de Deus, mas também em especial, celebrando a expectativa da Parrusia, ou seja, da segunda vinda de Cristo.

Tendo início no domingo após a celebração de Cristo Rei do Universo, onde concluímos o ano litúrgico, o Advento inicia um novo ano, novo tempo de graça e conversão.

Em especial neste tempo, somos inseridos no movimento de Kenosis, (de descida), no qual celebramos o mistério do Verbo, que se fez carne na condição de servo, obediente até a morte de cruz.

Com característica também forte de unidade, o Advento pode ser dividido em duas partes: nos dois primeiros domingos, em que mergulhamos no aspecto escatológico e, nos dois últimos, em que nos preparamos para a celebração própria do Natal. Devemos vivê-lo como um tempo piedoso, em alegre expectativa da vinda de Nosso Senhor.

Neste tempo, observamos que a liturgia utiliza a cor roxa. O roxo, no Advento, não significa penitência, mas recolhimento, purificação da vida pela justiça e pela verdade, preparando os caminhos do Senhor.

O roxo vem também acompanhado do sentido de um recolhimento que alimenta uma esperança, que é anunciada fortemente na terceira semana onde se pode utilizar o rosa como sinal da alegria que nos espera celebrar. Também com o objetivo de celebrar o Natal com canto jubiloso, na liturgia deste tempo omite-se o canto do Glória, que retornará na noite de Natal, em tom forte, celebrando a alegria de Deus conosco.

Com o intuito de vivermos melhor este tempo de Advento, início de novo ano litúrgico, propomos uma reflexão breve da liturgia de cada semana. Como diz a Constituição Conciliar:

“Efetivamente, na Liturgia Deus fala ao Seu povo, e Cristo continua a anunciar o Evangelho.” SC 33

“(…) na Liturgia o rito e a palavra estão intimamente unidos.” SC 35

Primeira semana do Advento – cor roxa

Advento é um substantivo masculino com etimologia latina, no termo adventum, que significa vinda ou chegada. A palavra advento também pode significar fundação ou criação de alguma coisa, normalmente se referia a ascensão do imperador ao trono, quando no sentido pagão. A palavra adventos, no linguajar eclesiástico litúrgico, indicou antes de tudo o nascimento de Jesus e o seu aniversário, depois a preparação para tal acontecimento e, por fim, a expectativa da segunda vinda.

Sendo convidados pela liturgia da palavra a mergulharmos no aspecto escatológico da segunda vinda de Cristo (Parrusia), vemos na liturgia proposta que em Jesus se cumprirá as profecias ditadas por Isaías, pois Deus é o Senhor da história. Sendo Ele Senhor da história, o novo ano que se inicia vem apoiado pela celebração de Cristo Rei do Universo, onde contemplamos a escatologia completada.

“Eis que venho em breve! Feliz é aquele que guarda as palavras da profecia deste livro”. Ap. 22,7

Estas são as Palavras do Cordeiro que está sentado no trono (Cristo Rei) e com elas fechamos um ano para iniciarmos outro.

Nosso Rei e Senhor não se cansa de ser misericórdia. Ele renova seu convite a com Ele viver Sua vida, “(…) desde o seio materno da Virgem, da gruta de Belém até o trono da divina majestade no alto dos céus” (Odo Casel). Tudo isso é vivenciado no ano litúrgico!

Iniciemos, assim, este novo ano apoiados e confiantes neste convite que o Senhor nos renova.

 

Aline Santos

Comunidade Católica Shalom

COMENTÁRIOS

Responder

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.