Ser diácono é um chamado de Deus – Viviane Carvalho

Ser diácono é um chamado de Deus – Viviane Carvalho

Emoção, alegria, beleza de liturgia e organização marcou a ordenação diaconal de 28 homens católicos, casados ocorrida de uma só vez na Arquidiocese de Montes Claros pela primeira vez.  A ordenação, ocorrida no último sábado, 18 de março, na Igreja Rosa Mística, foi presidida pelo Arcebispo de Montes Claros, Dom José Alberto Moura, e concelebrada por dezenas de padres que acompanharam o rito que encantou, emocionou e alegrou tantos fiéis, amigos e familiares dos ordenados.

Aos candidatos, “ Não vim para ser servido, mas para servir!” Em sua homilia, o arcebispo Dom José Alberto,  ressaltou algumas considerações existentes desde a igreja primitiva e que se estendem até a Igreja de hoje.Ser diácono é um chamado de Deus, é vocação. O diácono não é um funcionário, mas sim um ser chamado a servir voluntariamente naquilo que é próprio de Deus. Os apóstolos escolheram homens próprios de fé, a serviço de Deus e da Igreja para serem os primeiros diáconos. O papel diaconal não é o de leigo, nem o do padre, é algo próprio. O testemunho de vida é exigido de todos, mas os diáconos são chamados de modo especial a testemunhar sua fé, estimulando e orientando o povo a servir.

O Testemunho de serviço é baseado em 3 realidades, pontuou Dom José: Família- ser exemplo no seio familiar, dá testemunho da verdade e do esforço. Assumir o testemunho do matrimônio. Ajudar a todos – padres, leigos, religiosos – a valorizarem a família.  Trabalho: dar testemunho no serviço e no exercício da profissão. Exercício profissional é prova de amor à família, que é cuidada por esse homem de Deus. Comunidade: serviço aos irmãos, ajudando a Igreja a ser serviçal e tendo preferência por aqueles irmãos mais necessitados.  E completando disse que todos esses 28 homens são chamados para junto com os presbíteros e o bispo ajudarem o povo de Deus na formação. É necessária uma forte comunhão para que se possa orientar, coordenar, dialogar e corrigir. Sendo servidores da Igreja, sendo felizes, sendo homens de trabalho, da família e da Igreja, saibam dizer “SIM” como Maria em todos os dias da vida.  A partir desse “Fiat”, doem-se totalmente e levem o povo a também responder positivamente ao chamado de Deus.

SOBRE O DIACONATO: O diaconato é o primeiro grau de Sacramento da Igreja Católica. Os novos diáconos não poderão exercer o sacerdócio por serem casados, mas têm importante papel na igreja, pois uma de suas principais funções é instruir a comunidade, na qual estão inseridos, na correta participação em suas paróquias e principalmente levar a Palavra de Deus à população.

OS 28 DIÁCONOS:  Os 28 homens ordenados foram indicados pelos párocos de suas paróquias, eles fazem parte da terceira turma da Escola Diaconal Monsenhor Tadeu.  A exigência mínima para tal Ministério é primeiramente, a vocação ao chamado de servir. Deve ser um leigo frequente e atuante na Paróquia, deve ter idade mínima de 35 anos,  no mínimo ter 5 anos de casado, cursar por 4 anos o Curso de Teologia para Leigos e em seguida por mais 4 anos receber a formação da Escola Diaconal. No último dia 21 de dezembro 2016 eles receberam os Ministérios do Acolitato e Leitorato em Missa Solene presidida por Dom José Alberto Moura.

TESTEMUNHO DE QUEM JÁ ESTÁ NA CAMINHADA: Geraldo Magelo de Abreu há 9 anos exerce o diaconato na Arquidiocese de Montes Claros, casado com Selma Abreu e pai do Arthur e da Isabela, o vocacionado diz que o ministério assumido mudou sua vida,  um compromisso maior com o serviço na Igreja. “Sou muito feliz na minha missão em servir a minha Arquidiocese em obediência ao Meu Bispo Dom José , que tem apoiado o Diaconado com muito carinho e ao mesmo tempo em unidade com os irmãos  diáconos e padres nos trabalhos  Paroquiais”. Destacou ainda a importância da esposa nesse processo de doação e serviço. “ Agradeço ao amor recebido da minha família, minha esposa que serve junto comigo, apoiando e cuidando juntamente ao meu lado, com um zelo indescritível  de nossos filhos, em especial o Arthur, que tem uma doença rara e que requer de nós (pais e irmã) uma atenção redobrada”, pontua Magelo.

Em relação aos novos companheiros de trabalho finaliza dizendo: “Vejo que agora aumenta mais o nosso dever de trabalhar para o Reino de Deus neste Sertão,pois a turma aumentou e o Diácono deve e precisar ser Sinal de  uma Igreja Servidora”

EXPECTATIVA DE QUEM ESTÁ ASSUMINDO A MISSÃO AGORA: A opinião do veterano não difere de quem ainda vai iniciar a missão.  “Deus realmente é tudo em nós! Antes mesmo de nascermos ele já nos conhece e tem planos para nós. Muitas vezes, em nossa vida, os estudos, o trabalho e a família, acabam nos consumindo muito tempo e energia… mas, volta e meia ou quase sempre, o amor de Deus fala mais alto”, é o que diz o candidato ao diaconato, Giovani Siervi Andrade, casado há 19 anos com Shirley Soares Mota Siervi, e pai de dois filhos frutos dessa união. Ao ser interpelado sobre a  nova missão disse: “Jesus de Nazaré escolheu quem Ele quis, não foram os mais inteligentes ou mais famosos, mas aqueles que tiveram disponibilidade para aceitar o seu chamado”, assim se coloca também este servo à serviço do Reino. “Após esse “chamado”, somos enviados para a missão: anunciar o Reino de Deus no mundo. Minha expectativa é de poder levar a presença de Deus em ambientes que a igreja  muitas vezes tem dificuldades. Na família, no ambiente policial e no mundo jurídico. Mas não como pregador fanático, mas sim com o exemplo de vida na família, na comunidade e no trabalho”, finalizou Giovani que é delegado Regional da Polícia Civil e se tornará também um diácono permanente da Arquidiocese de Montes Claros.

HOMENAGEM: Seria ordenado também junto com essa turma, Alvimar Ribeiro dos Santos da Pastora da Terra e da Comunidade São Pedro da Vila Atlântida, em Montes Claros/MG. Alvimar dos Santos faleceu em 19 de agosto de 2016. No momento de Ação de Graças a esposa e filhos de Alvimar foram convidados ao Presbitério, e receberam das mãos de Dom José,  a estola que ele usaria como diácono permanente, todas autografadas pelos 28  diáconos, então colegas dele no processo de formação. Padres e seminaristas também assinaram a peça entregue à esposa. Ao filho, um quadro com fotos da missão  de Alvimar, também ficaram eternizadas em fotografias em meio à uma mensagem escrita pelo Arcebispo sobre o homem de fé que foi Alvimar Ribeiro dos Santos. A comoção tomou conta de todos que presenciaram a homenagem feita pelos colegas.

SÃO NEO-DIÁCONOS PERMANENTES DA ARQUIDIOCESE DE MONTES CLAROS:
Alvimar Ribeiro dos Santos (in memorian)
Alvino Siardo Rodrigues Nobre
Arthur Pereira Barbosa
Edcácio Alves Corrêa
Gildo Patrocínio Cardoso
Giovani Sierve Andrade
Jéson Damasceno Gonçalves
João Batista Gomes Maia
João Fábio de Souza
José Francisco Monteiro
José Osmar Fonseca de Melo
Leonardo Antônio de Freitas Cabral
Milton Machado Júnior
Milton Ney Souza Lopes
Osmar Ferreira Gomes Júnior
Osvaldo Luiz de Souza
Paulo Antônio Nascimento
Paulo Antônio do Nascimento
Raimundo Alves Rodrigues
Raimundo Mendes Ferreira
Robson Duarte Rodrigues
Sidney Silva Costa
Ubajara Braga Frois
Valdemar Rodrigues dos Anjos
Vivaldo dos Reis Ferreira
Wagner de Jesus Ribeiro
Waldir de Brito
Wander Calheiros Pereira
Wilson Campos Oliveira Filho

“(…) e Vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na Vossa presença e Vos Servir” ( Oração Eucarística II)

O único registro de uma ordenação de igual proporção aconteceu em novembro do ano passado em São Luiz no Maranhão com apenas 27 homens

Colaborou com esse Texto: Isabela Oliveira – PASCOM ARQUIMOC enviando a Homilia de D. José .
_______________________________________
***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Fonte: arquimoc.com

Sem comentários

Faça seu comentário

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.