Tags Posts tagged with "NAMORADA"

NAMORADA

0 54

É possível amar sua namorada sem ter relação sexual com ela

Quando se fala de namoro, logo se pensa num monte de coisa do tipo “pode ou não pode”, mais que isso, querem colocar em nossa cabeça que o namoro precisa ser um “teste drive” do outro, para ver o quanto, de fato, conseguiremos levá-la ao máximo de prazer!

Vou direto ao assunto e falarei aos “homens de plantão” que querem amar suas namoradas, e não usá-las, e já lhe digo: “é possível amar sua namorada sem ter de fazer sexo com ela”. Sim, é possível fazê-la profundamente desejada, amada e feliz sem ter de, com isso, apelar para uma relação sexual antes do casamento.

Está bem! Esse texto caiu em suas mãos e você não acredita nessa “historinha” do século passado. Quero desafiá-lo, então, a ir até o fim dessa página, porque, você pode estar vivendo uma mentira em seu namoro, pode estar enganado, pensando que está amando sua namorada quando a leva para o motel ou se tranca com ela no quarto, para as aventuras de um sexo sem amor.

Amar é esperar e dar de si ao outro, e não querer o outro para si. Sem muitas delongas, vamos lá!

10 formas de amá-la sem ter relações sexuais com ela antes do casamento:

Amar no olhar

Exercite a capacidade de vê-la como uma princesa, como uma filha de Deus, como alguém que, de fato, possui virtudes inimagináveis. Exercite a capacidade de demonstrar em seu olhar o quanto ela é importante para você, e como sua vida ganha sentido quando gasta tempo olhando para ela. Afinal, há quanto tempo você não passa mais de 5 minutos olhando para ela olho a olho?

Amar no ouvir

Mulheres gostam de falar, falar e falar. E nós homens precisamos exercitar a capacidade de ouvir até aquilo que elas não dizem de maneira verbal. Mulheres, na sua maioria, querem que as “adivinhemos” e que gastemos tempo ouvindo o que elas não dizem. Quando você conseguir isso, terá descoberto o fio de ouro da relação de vocês.

Amar no sentir

Antes de sentir o corpo nu de sua namorada (há um tempo reservado para isso, que se chama casamento), que tal sentir o coração dela? A maior e mais profunda penetração que você pode ter com ela não será a da relação sexual, isso será quando penetrar no coração dela e assim sentir os sentimentos que ela tem!

Amar no tocar

A nossa grande “neura”, enquanto homens (infelizmente, a sociedade nos forma assim), é tocar no corpo da namorada, a fim de alcançar as partes mais erógenas dela e, assim, deixá-la pronta para uma relação sexual. Mas isso, no namoro, é uso, não é amor. Quer amar sua namorada de verdade? Gaste tempo tocando na história dela, no que ela viveu e vive.

Amar no abraçar

Como um abraço é eficaz na arte de amar! Uma mulher envolvida por um abraço que envolve não somente seu corpo, mas tem a capacidade de envolvê-la no todo, sente-se não só protegida, mas profundamente valorizada. Seus braços têm a capacidade de envolver todo mistério e beleza de sua namorada?

Amar no beijar

Beijar é muito bom! Um beijo é mais que encontro de lábios, é encontro de desejos e anseios. Exercite nos beijos que dá em sua namorada a capacidade de despertar nela a alegria de estarem juntos. Uma mulher encontrada em um beijo se sente única e irrepetível.

Amar no cheirar

Não vá pensando que estou falando de fragrância francesa! Lógico que isso é muito bom também,porém, não é isso apenas. Eu me refiro ao sentir o que Paulo disse: “Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo” (II Cor 2,15). Sentir nela o perfume de Jesus, do amor que Ele tem, dos sonhos que Ele traz, a fará insubstituível.

Amar no falar

Desde Eva, a mulher espera a fala de um homem. Foi na ausência da fala de Adão que Eva escolheu um caminho ruim. Sei que não somos tão bons no falar, e aí está justamente nossa maior arma. Exercite a capacidade de demonstrar o que sente, de falar realmente o que pensa. Não se canse de dizer “eu te amo”. Como disse Pier Giorgio, “o amor nunca diz ‘já chega’!”. Fale com ela de seus sonhos, dos seus desejos, da importância que ela tem em sua vida! Se soubéssemos a força de nossa voz…

Amar no pensar

Acredito que uma das maiores provas de amor é tentar pensar sobre o que o outro pensa. Não digo pensar igual, mas chegar ao lugar que o outro pensa. E quando se trata da sua namorada, pensar sobre o que ela pensa é ter a capacidade de chegar em suas motivações mais profundas. Depois de pensar sobre os pensamentos dela, suas ações serão bem mais assertivas.

Amar no sonhar

Quando se gasta tempo sonhando, projeta-se o futuro. Quando você tem a possibilidade de sonhar junto com sua namorada, o futuro se apresenta cheio de possibilidades. Não ter sexo no namoro o faz sonhar muito mais ainda com sua noite de núpcias! Ame-a nos sonhos que ela traz – e lhe digo não são poucos. E quando ela sentir que você sonha junto com ela, eu lhe garanto: vocês mirarão um céu a dois!

Acha pouco? Se colocar isso como meta do amor em seu namoro, você, de fato, será muito feliz, porque a estará fazendo feliz! E depois de casados, cada relação sexual será o transbordar de todas essas formas de amar, pois elas se convergirão e, assim, tocarão na plenitude do amor.

E aí? Depois dessas 10 formas de amar sem ter relações sexuais no namoro, eu lhe pergunto: você ama sua namorada?

Muitos casais de namorados, quando resolvem viver a castidade, terminam; não porque não tenha sido uma boa ação, mas foi uma ação que revelou uma relação que não tinha pessoas, apenas “sexo”.

Fonte: https://formacao.cancaonova.com/

0 421

Mais do que um prazo, o importante é ter clareza sobre a seriedade da relação e o desejo de oficializar o romance diante dos parentes

Enfim, um amor. Uma pessoa com quem podemos contar e planejar o futuro. Mas, antes de apresentar seu namorado para a família, é importante tomar alguns cuidados. O Sempre Família conversou com Rosana Braga, consultora do ParPerfeito, além de psicóloga e escritora. Nessa entrevista ela sugere a melhor forma de fazer essa apresentação e como planejar para que seu par se sinta à vontade.

Nessas respostas, Rosana oferece orientações para pessoas adultas, com condições ou maturidade suficientes para fazer escolhas e arcar com elas. “Se o casal é de adolescentes, as regras válidas são as dos pais e familiares mais próximos, ou seja, aqueles que se responsabilizam pelos adolescentes. A liberdade deve sempre vir junto com a responsabilidade e, por mais maduro e responsável que seja um adolescente, a supervisão de seus pais é fundamental”, diz Rosana.

1) O que deve ser levado em consideração antes de apresentar a pessoa para a família?

Antes de mais nada, é importante lembrar que cada pessoa tem seu próprio jeito de ser e seu próprio ritmo nos relacionamentos. Além disso, as famílias também têm dinâmicas, valores e regras bastante diferentes, que estão relacionadas a múltiplos fatores. Diria que esses são os dois primeiros pontos a serem considerados. Cada um sabe a família que tem! Fazer algumas perguntas pode ajudar muito a refletir para decidir sobre apresentar ou não essa pessoa para a família agora. Tais como: “eu realmente pretendo investir nesse relacionamento?”, “essa pessoa tem se adequado ao que eu busco para o meu futuro e para o futuro do relacionamento que mantenho com a minha família?”.

2) Como deve ser planejado esse momento? A família deve opinar? Ou isso deve ser organizado e preparado pelo casal?

Penso que, por ser um primeiro encontro, o melhor é que a família seja avisada antes da chegada do par. Claro que o parceiro também deve ser informado, já que essa inclusão acontece de forma muito mais agradável quando o casal já conversou sobre o assunto. Afinal de contas, incluir o relacionamento na família e vice-versa tende a ser um forte indicativo de compromisso para a maioria das pessoas. Mas, sobretudo, a decisão sobre qualquer coisa que se refira ao relacionamento é sempre do casal. Qualquer opinião de terceiros pode ser analisada e considerada, mas se tomada como decisão final, sem que esteja de acordo com os reais sentimentos e desejos da pessoa em si, tende a causar sofrimento e arrependimentos futuros.

3) Qual a ocasião ideal para apresentar o novo namorado? Por quê?

A ocasião ideal é uma percepção muito particular, considerando tudo o que já foi dito sobre a dinâmica familiar de cada um. Mas, em geral, festas familiares, como casamentos ou aniversários tendem a ser boas oportunidades para essa apresentação, já que se trata de um ambiente alegre, leve, onde a maioria da família está presente. Mas se a pessoa deseja que essa ocasião seja muito especial, então o ideal é preparar um jantar e fazer da chegada do par o motivo mais importante da reunião familiar.

4) Em que situação é melhor evitar apresentar essa pessoa? Por quê?

Em situações em que o clima está tenso por quaisquer motivos, tais como doenças familiares, velórios ou brigas. As pessoas não estarão abertas e dispostas a abrir espaço para desconhecidos. Afinal, a primeira impressão é importante e essa seria uma primeira impressão bastante constrangedora.

5) Quanto tempo o casal deve aguardar para apresentar o namorado para a família?

Isso depende de cada casal. O tempo é menos importante que a intensidade e a intenção de cada casal. Além disso, essa também é uma questão que depende muito dos valores de cada família. Vale considerar que se uma pessoa costuma ser do tipo “fogo de palha”, ou seja, vive se interessando e se desinteressando rapidamente pelas pessoas, o melhor é esperar um tempo mínimo para apresentar o novo namorado à família. Caso contrário, tenderá a perder o crédito e a disposição deles para acolher novos parceiros.

6) Qual acordo ou conversa o casal deve ter antes disso acontecer?

Tudo o que o casal considerar que pode atrapalhar o grande dia deve ser conversado previamente. É preciso tomar cuidado para não tentar antecipar e prever tudo pode tirar do outro a oportunidade de ter suas próprias impressões.

 7) Quais orientações você daria para esse momento?

Clareza e consciência. Ou seja, é importante que a pessoa que decida apresentar seu par à família tenha claro para si mesma o motivo pelo qual está fazendo isso, especialmente quando a família é muito exigente. Sabemos que existem famílias bem liberais e que não dão peso a esse tipo de evento, mas se esse não for o caso, é importante que a decisão seja tomada com segurança para que possíveis interferências não sirvam para criar sentimentos desgastantes e desnecessários.

FONTE: Sempre Família

Galeria de Fotos