Por que não devemos relativizar os ensinamentos de Jesus





Quando amamos Jesus, amamos de verdade; não existe meio termo. É tudo ou nada

 

 

Vejo pessoas – inclusive sacerdotes – dentro da Igreja Católica relativizando muitos ensinamentos de Jesus Cristo. E gostaria de deixar a minha reflexão aqui.

Amar a Jesus Cristo e não comungar, ou seja, não receber o seu Corpo e Sangue, significa negá-lo com a sua alma e com o seu corpo. Significa que suas paixões falam mais alto do que o seu amor por Ele, que você pecou e não confessou. Significa que você pode estar vivendo em uma união estável que não foi consagrada a Jesus Cristo ou até mesmo que você faz sexo fora do casamento.

Por esses motivos, você não pode recebê-lo dentro do seu coração. E não recebê-lo, significa que jamais você morará n’Ele e Ele em você.

 

Não flexibilizar os ensinamentos de Jesus

De fato, católicos não podem ser flexíveis e possuir compassividade diante das coisas que ofendem ao Nosso Senhor Jesus Cristo. Escolher Jesus Cristo significa escolhê-lo de corpo e de alma.

Prove o seu amor a Jesus Cristo todos os dias. Abdique das paixões mundanas que te afastam e que impedem de receber o Seu Corpo e Sangue diante da Eucaristia. Renuncie às paixões que fazem você negá-lo diante do Seu sacrifício no altar. Abdique, por mais que isso se cause dor, que te leve amigos, e que você se veja sozinho.

Com Jesus Cristo é tudo ou nada. Não existe relativismo e flexibilidade. Quando você escolhe por Ele, você precisa amá-lo de corpo e de alma. E quando amamos assim não existe meio termo. É tudo ou nada. Ou você escolhe o mundo ou você escolhe o céu. Simples assim.

Jesus Cristo nos escolheu, e aceitou morrer por nós naquela Cruz. Que escolhamos Jesus Cristo e abdiquemos de absolutamente tudo aquilo que faz com que neguemos o Seu sacrifício por cada um de nós.

Os ensinamentos de Jesus Cristo são ensinamentos e ponto final. Não relativize para justificar sua permanência em paixões mundanas.

Fonte: Talita Rodrigues / pt.aleteia.org