Por que São Pio X permitiu a comunhão para as crianças pequenas





Por muitos séculos, a Eucaristia era exclusiva para adultos

Nos primórdios da Igreja Católica, as crianças eram bem-vindas à mesa eucarística e sua participação na recepção da Santa Comunhão era permitida. Era uma prática comum dar às crianças a Primeira Comunhão junto com os sacramentos do Batismo e da Confirmação.

No entanto, com o tempo, a Igreja Católica Romana separou os três sacramentos da iniciação, administrando-os em diferentes momentos da vida do fiel. A maioria das Igrejas Orientais, entretanto, manteve a tradição anterior de permitir que as crianças recebessem a Eucaristia.

No início do século XX, enfatizando o desejo de que aqueles que recebem a comunhão compreendam – pelo menos tanto quanto humanamente possível- o grande mistério da Transfiguração e a transformação do pão em corpo e do vinho em sangue de Cristo, a Igreja reservou a Comunhão para os adolescentes e adultos. As crianças mais novas eram proibidas de se aproximar do altar.

O Papa Pio X mudou isso. Ele decretou que as crianças na “idade da razão” (por volta dos sete anos de idade) poderiam receber a Eucaristia.

Pio X explicou por que ele reduziu a idade, baseando-se no fato de Jesus sempre valorizar as criancinhas:

“As páginas do Evangelho mostram claramente quão especial foi o amor pelas crianças que Cristo mostrou enquanto este d na terra. Foi Seu prazer estar no meio delas … Ele as abraçou; e abençoou-as. Ao mesmo tempo, não ficou satisfeito quando foram expulsas pelos discípulos, a quem repreendeu gravemente com estas palavras: ‘Venham as criancinhas a mim e não as impeçam, porque delas é o reino de Deus.’

Reforçando a realidade da inocência e proximidade de Deus para com os filhos, Pio X escreveu:

“O fato de que, nos tempos antigos, as partículas remanescentes das Espécies Sagradas eram dadas às crianças enfermas parece indicar que nenhuma preparação extraordinária deveria ser exigida das crianças que estão no feliz estado de inocência e pureza de alma, e que, em meio a tantos perigos e seduções do tempo presente, têm uma necessidade especial deste alimento celestial.”

Pio X acrescentou ainda que, ao diminuir a idade da Primeira Comunhão, esperava “fazer com que as crianças, mesmo de seus tenros anos, se unissem a Jesus Cristo, pudessem viver sua vida e obter proteção contra todo perigo de corrupção”.

As crianças têm um lugar especial no coração de Jesus Cristo e nos inspiram a ter uma confiança pura em nosso Pai Celestial. Em certo sentido, as crianças já estão unidas a Deus quando são pequenas. Elas não foram corrompidas pelo mundo e não conhecem as tentações do pecado. Era a esperança de Pio X que, ao permitir que as crianças pequenas recebessem a Sagrada Comunhão, elas mantivessem a inocência batismal em suas vidas adultas e permanecessem perto de Jesus.

Assim, era objetivo do Papa dar-lhes a chance de receber a Sagrada Comunhão com maior frequência possível, mantendo-as unidas a Jesus, que as seguraria firmemente em seu coração.

Fonte: aleteia.org

Fonte: Philip Kosloski