Quer ser como Maria? Então não procrastine!





O "sim" de Maria lhe custou muito. Mas ela não deixou sua resposta para depois

 

 

O Papa Francisco afirmou que o exemplo de Maria em responder ao anjo Gabriel é um convite para paramos de procrastinar. Disse ele no Angelus de 20 de dezembro de 2020:

“[Maria] Poderia ter pedido um pouco de tempo para pensar sobre isso, ou maiores explicações sobre o que aconteceria; talvez estabelecer alguma condição… Ao invés disso, não toma tempo, não faz Deus esperar, não adia.”

 

O Pontífice também nos advertiu contra a procrastinação:

“Hoje, às portas do Natal, Maria convida-nos não a adiar, mas a dizer sim. Devo orar? Sim, vou buscar e orar. Devo ajudar os outros? Sim. Como devo fazer isso? E eu faço isso. Sem adiar. Cada sim custa alguma coisa, cada sim tem o seu custo, mas custa sempre menos do que aquele sim corajoso e rápido lhe custou, aquele ‘faça-se em mim segundo a tua palavra’, que nos trouxe a salvação.”

 

A decisão de Maria

Além disso, Francisco explicou que o sim de Nossa Senhora implicou em um grande custo pessoal. Gabriel propôs a ela o que certamente era o sonho de todas as mulheres da época: ser a mãe do Messias. Entretanto, a lei prescrevia o apedrejamento para mulheres solteiras encontradas grávidas. Disse o Santo Padre:

“Certamente, a mensagem divina teria enchido o coração de Maria com luz e força; no entanto, ela se viu diante de uma decisão crucial: dizer sim a Deus, arriscando tudo, até mesmo sua vida, ou recusar o convite e continuar sua vida cotidiana?”

 

A resposta de Maria, no entanto, é um sim que “na linguagem em que o Evangelho está escrito, não é simplesmente ‘deixe estar'”, disse Francisco, que explicou:

“A expressão indica um desejo forte, indica a vontade de que algo aconteça. Em outras palavras, Maria não diz: se tem que acontecer, deixe acontecer …, se não pode ser de outra forma… Ela não é passiva, mas ativa. Não se submete a Deus, ela se liga a Deus. Ela é uma mulher apaixonada preparada para servir ao seu Senhor completa e imediatamente.

 

Na prática

Portanto, o Santo Padre nos sugeriu uma decisão prática:

“Em vez de reclamar nestes tempos difíceis do que a pandemia nos impede de fazer, façamos algo por quem tem menos: não o enésimo presente para nós e para os nossos amigos, mas por uma pessoa necessitada em quem ninguém pensa!E outro conselho: para que Jesus nasça em nós, preparemos o nosso coração, vamos orar, não nos deixemos levar pelo consumismo. Ah, tenho que comprar presentes, tenho que fazer isso e aquilo – aquele frenesi de fazer as coisas, cada vez mais. É Jesus que é importante.O consumismo não se encontra na manjedoura de Belém: existe realidade, pobreza, amor. Vamos preparar nossos corações para serem como os de Maria: livres do mal, acolhedores, prontos para receber Deus.‘Faça-se em mim segundo a tua palavra’. Esta é a última palavra da Virgem para este último domingo do Advento e é o convite a dar um passo genuíno para o Natal. Pois se o nascimento de Jesus não toca nossas vidas – a minha, a sua, a nossa, de todos – se não toca nossas vidas, ele passa por nós em vão.No Angelus agora, também nós diremos ‘cumpra-se a tua palavra em mim’. Que Nossa Senhora nos ajude a dizê-lo com a vida, com a nossa aproximação a estes últimos dias para nos prepararmos bem para o Natal.”

Fonte: pt.aleteia.org