Brasil: casados há 62 anos morrem de covid com 11 horas de interval





Casal deixa 10 filhos, 27 netos, 26 bisnetos e 5 trinetos. "Nem a morte separou minha mãe e meu pai. Isso foi Deus", declara uma das filhas

 

 

 

“Nem a morte separou minha mãe e meu pai”, declarou uma das filhas de Antônio Manuel Emboava, de 83 anos, e Maria de Lourdes de Paula Emboava, de 76. Os esposos, de fato, partiram desta vida no dia 28 de setembro, num intervalo de apenas 11 horas: ele ao nascer do sol, às 5h30, e ela quando o sol se pôs, às 18h30.

Marido e mulher viveram um sólido matrimônio de 62 anos e deixaram 10 filhos, 27 netos, 26 bisnetos e 5 trinetos.

Moradores de Artur Nogueira, no interior paulista, Antônio e Maria de Lourdes enfrentaram a covid-19, mas tinham comorbidades como bronquite, diabetes e pressão alta. Ele ficou 6 dias internado. Ela, por sua vez, passou apenas um dia no pronto-socorro, mas morreu após a transferência para o mesmo hospital de campanha onde estava Antônio.

Uma das filhas do casal, Valdete Emboava, 53, declarou à imprensa:

 

“Perder um pai com uma mãe é uma ferida que está dentro do peito da gente… Que a gente tem que orar muito com Deus. Pedir muita força para Deus confortar nosso coração”.

 

“Nem a morte separou minha mãe e meu pai”

Ela descreve o casamento dos pais, além disso, como “unido por Deus”:

 

“Cresceram juntos, casaram. Nem a morte separou minha mãe e meu pai. Olha que coisa mais linda! No mesmo dia foram os dois. Isso foi Deus”.

 

Valdete considera que a mãe não iria aguentar a perda do marido:

 

“O que ela tinha que cumprir aqui ela cumpriu. Então, chegou a hora de ela ir também. Em poucas horas ela foi recolhida também (…) Se ela não ganhar o céu, acho que ninguém vai ganhar mais”.

 

Quanto ao pai, Valdete contou que ele não gostava de festas, mas, em junho, celebrou seus 83 anos “com brilhos nos olhos”:

 

“Foi uma despedida que ele fez para nós. Ele queria todos os filhos lá”.

 

Que Deus conceda a Antônio e Maria de Lourdes o descanso eterno e dê paz e serenidade à família.

Fonte: Francisco Vêneto / pt.aleteia.org