Abadessa alemã se nega a pagar multa por acolher refugiados





“Eu agi com espírito cristão. Dar ajuda concreta a uma pessoa carente não pode ser crime”

 

 

Segundo informações da agência católica KNA, uma abadessa beneditina alemã foi condenada a pagar multa de 2.500 euros por ter acolhido, em mais de trinta ocasiões, mulheres migrantes que haviam pedido asilo no mosteiro do qual ela é a superiora, em Kirchschletten, na Baviera.

A madre Mechthild Thurmer, no entanto, se recusa a pagar a multa porque afirma que ajudar pessoas carentes não é crime. Além da multa, ela está sujeita a ser processada. O julgamento será histórico se vier a equiparar a concessão de asilo religioso ao crime de favorecimento à imigração ilegal.

A abadessa, de 62 anos, declara:

“Eu agi com espírito cristão. Dar ajuda concreta a uma pessoa carente não pode ser crime”.

 

As autoridades da Baviera encerraram todos os processos semelhantes já levados à sua apreciação, mas, naqueles casos, os acusados pagaram a multa aplicada. O advogado do mosteiro, Franz Bethauser, reforça que não existe crime algum a ser punido.

Em 2018, um tribunal de Freising determinou que o asilo religioso não é passível de punição enquanto o Estado não expulsar o exilado do país. No entanto, ainda não há uma decisão final da justiça alemã que estabeleça um critério definido para todos os casos e em todo o território nacional.

Fonte: Redação da Aleteia / pt.aleteia.org