O Papa Francisco lança um fundo de ajuda aos trabalhadores





“Cada um, segundo o seu papel, se sinta protagonista do renascimento da nossa comunidade depois da crise”, disse o Papa

 

 

De acordo com o Vatican News, a Santa Sé anunciará oficialmente nesta sexta-feira, 12, o lançamento do Fundo Jesus Divino Trabalhador, que, com aporte inicial de 1 milhão de euros, concretiza mais uma iniciativa do Papa Francisco para auxiliar trabalhadores carentes da diocese de Roma que foram particularmente atingidos pela pandemia do coronavírus.

O dinheiro será destinado primeiramente às ações da Cáritas diocesana em benefício da “grande fileira de trabalhadores ocasionais”, enfatizou o Papa: estagiários, domésticos, pequenos empreendedores e autônomos, por exemplo. Entre eles, observou Francisco, há muitos pais e mães que enfrentam dificuldades para dar de comer aos próprios filhos:

 

“Fico feliz em pensar que esta pode ser uma verdadeira aliança por Roma, na qual cada um, segundo o seu papel, se sinta protagonista do renascimento da nossa comunidade depois da crise”.

 

 

Francisco destacou que muitas pessoas “arregaçaram as mangas” para ajudar os mais frágeis, mediante voluntariado, assistência aos doentes e aos pobres, doações e até manifestações de solidariedade como os aplausos nas janelas e sacadas aos médicos e demais agentes de saúde.

O Papa aproveitou para recordar aos representantes da sociedade civil que eles executar “políticas e ações concretas pelo bem da cidade”, principalmente em prol de quem corre o risco de ficar de fora das medidas institucionais de incentivo.

Ele também pediu que os sacerdotes sejam “os primeiros a contribuir com o fundo”, estendendo esse pedido ao “bom coração dos romanos”:

 

“Eu gostaria de ver a solidariedade florescer na nossa cidade”.

 

O cardeal Angelo de Donatis, vigário do Papa para a diocese de Roma, agradeceu a Francisco pela nova iniciativa e, em nota, declarou sobre o Papa:

 

“Ele não para de demonstrar aos homens e as mulheres da nossa cidade todo o amor e solicitude”.

Fonte: Redação da Aleteia / pt.aleteia.org