Papa Francisco visitará o Iraque daqui a 3 meses





Planejamento inclui planície de Nínive, devastada sob o terror do autoproclamado Estado Islâmico

 

 

Papa Francisco visitará o Iraque entre os dias 5 e 8 de março de 2021, conforme anúncio da Sala de Imprensa da Santa Sé nesta segunda-feira, 7 de dezembro. No planejamento da viagem pontifícia a um dos países mais perigosos do mundo na atualidade estão a capital, Bagdá, e as cidades de Ur, Erbil, Mossul e Qaraqosh.

As últimas duas se localizam na planície de Nínive, que sofreu enorme devastação durante os meses em que esteve sob o terror do autoproclamado Estado Islâmico.

 

Papa Francisco visitará o Iraque daqui a 3 meses

A viagem de Francisco responde a um convite conjunto da República do Iraque e da Igreja Católica no país. Os detalhes da viagem ainda podem sofrer grandes alterações, conforme observou o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni. O motivo é que, além dos fatores de segurança, é preciso levar em conta os próximos desdobramentos da pandemia de covid-19.

Já faz mais de um ano que o Papa anunciou a intenção de visitar o Iraque: foi em 10 de junho de 2019. Na ocasião, Francisco havia declarado:

“Uma ideia insistente me acompanha, pensando no Iraque, aonde tenho o desejo de ir no próximo ano, para que se possa seguir em frente com uma participação pacífica e compartilhada na construção do bem comum de todos os componentes religiosos da sociedade, sem cair novamente nas tensões que vêm dos conflitos intermináveis entre potências regionais”.

 

Em fevereiro deste ano, o Papa voltou a falar da viagem durante uma visita de peregrinos do Iraque ao Vaticano: ele declarou que pretendia visitar o país em 2020, o que viria a ser impossibilitado pelo agravamento da pandemia.

“Estou muito próximo de vós. Sois um campo de batalha, sofreis uma guerra de um lado e do outro. Rezo por vós e pela paz no vosso país, para o qual estava programada uma visita minha neste ano”.

 

Aquela audiência, aliás, foi a última na Praça São Pedro antes da interrupção que o coronavírus impôs.

Fonte: pt.aleteia.org