Vaticano adia Jornada Mundial da Juventude em Lisboa para 2023





O diretor da sala de imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, anunciou ontem (21/04) que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Lisboa foi adiada para agosto de 2023 devido à pandemia de covid-19.

Ainda faltava um prazo relativamente longo para a data original do evento, até então agendado para agosto de 2022, mas a organização considerou que as consequências da atual pandemia geram a necessidade de priorizar o cuidado dos mais vulneráveis durante um tempo considerável. É preciso levar em conta que o evento envolve viagens internacionais ou intercontinentais dos participantes, bem como toda a logística necessária para um encontro multitudinário que dura 5 dias.

A mesma lógica foi estendida à Jornada Mundial da Família, antes prevista para junho de 2021 e agora reagendada para junho de 2022, mantendo Roma como sede.

Ambas as decisões foram tomadas pelo Papa Francisco em coordenação com o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida.

 

O Comitê Organizador Local (COL) da JMJ em Lisboa comentou, em nota oficial, que a decisão do Vaticano é recebida “com naturalidade e confiança, partilhando com o Santo Padre o apelo a que, no atual contexto e nos próximos tempos, o foco da atenção de todos esteja no cuidado dos mais vulneráveis, das famílias e de todos os que, pelos mais diversos motivos, sofrem com os efeitos da pandemia causada pela Covid-19. O COL e as equipes de trabalho já constituídas estão entusiasmados com a perspectiva de preparar da melhor forma a JMJ em Portugal, na certeza de que o evento trará à capital portuguesa a esperança e a alegria dos jovens de todo o mundo”.

 

A JMJ é realizada anualmente em cada diocese, em geral no Domingo de Ramos, mas com outra data alternativa podendo ser definida pelo bispo local. Já as grandes edições internacionais, com a presença do Papa, acontecem a cada dois ou três anos, reunindo de centenas de milhares até milhões de participantes em alguma grande cidade do mundo. O Brasil sediou no Rio de Janeiro a de 2013, primeiro ano do pontificado de Francisco.

Fonte: Aleteia